Tubarão Albafar | Características Gerais do Tubarão Albafar (Hexanchus griseus)

Tubarão Albafar | Características Gerais do Tubarão Albafar (Hexanchus griseus)

Tubarão Albafar
Nome Comum:  Tubarão Albafar

Nome Científico: Hexanchus griseus

Tamanho: 5 metros

Hexanchus griseus
Hexanchus griseus
Hexanchus griseus
Designações

Cabo Verde:
  • Albafora
  • Albafar
  • Olho-verde
Portugal:
  • Albafar (Açores e Madeira)
Brasil:
  • Cação-bruxa
Moçambique:
  • Canhabota cinzenta
Distribuição geográfica do Tubarão AlbafarO tubarão-albafar (Hexanchus griseus) é uma espécie de tubarão da família Hexanchidae. Pode atingir os 5 m de comprimento e os 600 kg de peso.

Está associado a habitats marinhos de recife, até 2300m de profundidade.

Ocorre em zonas subtropicais.
Pouco se sabe sobre a espécie, mas é certo que nada, também nos Açores e na Madeira, a uma profundidade não superior a 100m. Essa é uma das evidências de que ainda existe uma vasta área cinzenta no que se sabe do tubarão albafar: não seria de esperar encontrar membros da espécie abaixo dos 100m, mas este tubarão foi filmado a cerca de 1000m de profundidade e há relatos de capturas a 2.500 m.

www.megatims.com.br

Tubarão Duende | Características Gerais do Tubarão Duende (Mitsukurina owstoni)

Tubarão Duende | Características Gerais do Tubarão Duende (Mitsukurina owstoni)

Tubarão Duende | Características Gerais do Tubarão Duende (Mitsukurina owstoni)Nome Comum: Tubarão Duende

Nome Científico:  Mitsukurina owstoni

O tubarão-duende (Mitsukurina owstoni) é uma espécie que habita nas águas profundas, raramente é visto com vida. Pertence a família Mitsukurinidae

Características
O Tubarão Duende tem o focinho alongado e aplainado. Cabeça distintamente longa, olhos minúsculos e cinco fendas branquias curtas. Boca grande e parabólica. Corpo macio e flácido. Nadadeira caudal longa sem um lóbulo ventral. Nadadeiras peitorais curtas e largas. Nadadeiras dorsais pequenas, arredondadas e de igual tamanho. Nadadeira anal arredondada e menor do que as dorsais. Maxila protuberante, longa, com dentes delgados e longos. Coloração branca-rosada com nadadeiras azuladas. Possui 26 grandes e estreitos dentes na maxila superior e 24 na maxila inferior. Têm três fileiras de dentes anteriores em cada lado de ambas as maxilas. Os dentes na maxila superior anterior são separados dos dentes laterais superiores menores. Podem atingir 3,90 m e pesar 210 kg. As fêmas são maiores que os machos. Animal muito raro de ser encontrado, inofensivo para o homem. Pouco se sabe sobre essa espécie.

tubarão-duende (Mitsukurina owstoni)Habitat: espécie oceânica de fundo, raramente encontrado na superfície ou em águas litorais rasas. É encontrado ao longo das prateleiras continentais exteriores, entre profundidades de 270 e 960 m.

Ocorrência: toda a costa brasileira.

Alimentação: peixes até tubarões, lulas e crustáceos. Encontra suas presas a partir de impulsos elétricos usando seu nariz que contém sensores elétricos.

Reprodução: tudo indica que são ovovivíparos.

Predadores naturais: outros tubarões.

Ameaças: espécie ameaçada de esxtinção.

tubarões-duendes mortos no JapãoAtinge até 4 metros de comprimento. Pouco se sabe sobre a reprodução destes animais que são ainda cercados de mistérios que já foi encontrado a 1200 metros de profundidade. Vive no oeste do oceano Pacífico e a oeste do Índico e a leste e oeste do oceano Atlântico.

Supostamente alimenta-se de lulas, camarões, polvos e outros moluscos que também habitam no fundo do mar. Acredita-se que ele encontra suas presas a partir de impulsos elétricos pelo seu longo nariz em forma de faca incorporada por minúsculas células sensoriais. Possui também uma grande boca com dentes em forma de agulha.

Os tubarões-duendes são um dos mais antigos tubarões existentes no mundo atual. Há registro desta espécie ao largo das costas das ilhas japonesas, Austrália e do sul africano.

O Tubarão Duende é chamado também de Goblin, é um animal muito raro de ser encontrado. Desde 1898 foram encontrados 36 tubarões da espécie goblin.

O último registro foi em Tóquio, onde o animal nadava em águas rasas. Não se sabem por que, mas já é a segunda espécie de tubarões muito raros que nadam em águas profundas encontrados no ano de 2007.

www.megatimes.com.br

Tubarão Elefante ou Tubarão-Peregrino (Cetorhinus maximus)

Tubarão Elefante ou Tubarão-Peregrino (Cetorhinus maximus)

Tubarão Elefante
Nome comum: Tubarão Elefante ou Tubarão-Peregrino

Nome científico: Cetorhinus maximus
 Ordem: Lamniformes

Perdendo apenas para o tubarão baleia em tamanho, os Tubarões Elefante ou Tubarões Peregrinos  são criaturas enormes, cujas dimensões são ainda mais notáveis levando-se em conta sua dieta exclusiva de plâncton. Geralmente nadam com as bocas enormes escancaradas, filtrando partículas de alimento enquanto se movem.

Os tubarões peregrinos costumam ser avistados na superfície, perto da costa, e são a atração predileta dos ecoturistas, que encontram estes gigantes durante passeios curtos de barco. São bastante tolerantes à presença de seres humanos, o que os transformou em alvo fácil de baleeiros durante muitos anos.

Como muitas outras espécies de tubarão, os tubarões-peregrinos têm sofrido a intensa pressão da indústria da pesca. Eles são muito rentáveis para as frotas pesqueiras devido a seu enorme tamanho – um único animal pode render uma tonelada de carne e 400 litros de óleo, e seu fígado rico em vitaminas pode chegar a representar 20% do peso total do tubarão. Os tubarões-peregrinos agora são protegidos por lei em vários países.

Tubarão Elefante ou Tubarão-Peregrino
Tamanho máximo: 12 metros / 7.000kg

Distribuição: Águas temperadas e árticas em todo o mundo. Muito raros em regiões tropicais.

Dieta
: Plâncton, compostos tipicamente por larvas invertebradas, pequenos crustáceos e ovas de tubarão.

Reprodução: Não se sabe ao certo, mas acredita-se que sejam ovovivíparos, com longos períodos de gestação e poucos filhotes.

Características: corpo fusiforme e moderadamente robusto. Cabeça moderadamente larga, mas muito mais curta que o tronco. Fendas branquiais prolongadas circundando quase toda a cabeça. Focinho moderadamente largo, pontiagudo e cônico, boca enorme estendendo-se para trás da linha dos olhos, arqueada, situada ventralmente, com centenas de dentes minúsculos enganchados. Possui guelras bem brancas. Olhos pequenos. Primeira nadadeira dorsal grande, alta, ereta e angular. Segunda dorsal e anal moderadamente grandes mas menores que a metade da primera dorsal. Nadadeiras peitorais largas, muito mais curtas que a cabeça nos adultos. Nadadeiras pélvicas menores que a primera dorsal, porém maiores que a segunda. Nadadeira caudal em forma de meia lua, com lóbulo superior moderadamente grande e lóbulo inferior quase tão grane quanto o superior. Superfície dorsal com coloração cinzenta-marrom podendo variar para o cinza escuro a quase preto. Superfície ventral pode ser da mesma cor, ligeiramente mais pálida ou quase branca. Em tamanho, só perde para o tubarão baleia, podendo alcançar 12 m de comprimento e pesar 4 toneladas.

Habitat: regiões costeiras, estuarinas, baías e mar aberto.

Ocorrência: litoral sul do Brasil.

Hábitos: espécie costeira, pelágica, de superfície. Vive em pares ou grupos com mais de 100 indivíduos. Possui o hábito de expôr-se ao sol na superfície da água com a parte traseira e sua primeira nadadeira dorsal expostas inteiramente. Migratórios.

Tubarão Elefante ou Tubarão-Peregrino
Alimentação: zooplâncton. É a única espécie que captura o planto no fluxo passivo da água pela natação. Geralmente nada com sua grande boca aberta que permite um fluxo contínuo da água, filtrando o plâncton, sem usar o processo de sucção como em outras espécies filtrantes (tubarão baleia e mega-boca). Se alimentam ao longo das áreas que contêm densidades elevadas do zooplâncton grande (isto é, crustáceos pequenos, larvas invertebrate, ovos e larvas de peixes).

Reprodução: vivíparo. O período do gestação é de 3 anos ou mais, com geração de 1 cria.

Ameaças: poluição.

www.megatimes.com.br

Tubarão da Groenlândia | Características Gerais do Tubarão da Groenlândia (Somniosus microcephalus)



Tubarão da Groenlândia | Características Gerais do Tubarão da Groenlândia

Tubarão da Groenlândia | Características Gerais do Tubarão da Groenlândia (Somniosus microcephalus)

Nome Popular: Tubarão da Groenlândia

Classificação Científica:  Somniosus microcephalus

Família: Dalatiidae

Gênero: Somniosus

O tubarão da Groenlândia (Somniosus microcephalus) é um dos maiores tubarões do mundo, chegando a medir mais de 6,5 metros de comprimento. Uma espécie com 7,3m é frequentemente mencionado na literatura especializada, e passou a ser aceito como o maior tamanho já notificado de um tubarão da Groenlândia. Em Janeiro de 1985 foi capturado na Ilha de May, Escócia, um individuo com 6,4m de comprimento e pesando 1,021kg. Esse animal é conhecido por sua aparência e movimentos indolentes, diferentemente das outras espécies, que são mais agressivas.

Tubarão da GroenlândiaHabitat e alimentação
É normalmente encontrado a mais de 1.200 metros de profundidade no Ártico e nos mares do norte do Atlântico, mas já foi observado em lugares tão distantes como a Argentina e a Antártica.

Alimentam-se principalmente de peixes, e algumas vezes até focas. Já foram encontradas partes de cavalos e ursos-polares em estômagos de tubarões da Groenlândia.

Sinônimos
Squalus squatina (non Linnaeus, 1758), Squalus carcharis (Gunnerus, 1776), Somniosus brevipinna (Lesueur, 1818), Squalus borealis (Scoresby, 1820), Squalus norvegianus (Blainville, 1825), Scymnus gunneri (Thienemann, 1828), Scymnus glacialis (Faber, 1829), Scymnus micropterus (Valenciennes, 1832), Leiodon echinatum (Wood, 1846), e Somniosus antarcticus (Whitley, 1939)

Utilização culinária
Este tubarão faz parte da gastronomia da Islândia, sendo o Hákarl a iguaria mais conhecida com ele confeccionada. Consiste em peixe putrefacto e seco.

Tanto na Groenlândia como na Islândia, a carne do turbarão-da-groenândia é também utilizada como comida para cão, depois de seca.

Tubarão da GroenlândiaTubarão-da-Groenlândia (Somniosus microcephalus)

O tubarão da Groenlândia (Somniosus microcephalus) é um dos maiores tubarões do mundo, chegando a medir mais de 6,5 metros de comprimento.

Uma espécie com 7,3m é frequentemente mencionado na literatura especializada, e passou a ser aceito como o maior tamanho já notificado de um tubarão da Groenlândia.

Em janeiro de 1985 foi capturado na na Ilha de May, Escócia, um individuo com 6,4m de comprimento e pesando 1,021kg. Esse animal é conhecido por sua aparência e movimentos indolentes, diferentemente das outras espécies, que são mais agressivas.

Habitat e alimentação

É normalmente encontrado a mais de 1.200 metros de profundidade no Ártico e nos mares do norte do Atlântico, mas já foi observado em lugares tão distantes como a Argentina e a Antártica.

Alimentam-se principalmente de peixes, e algumas vezes, até focas. Já foram encontradas partes de cavalos e ursos-polares em estômagos de tubarões da Groenlândia.

Sinônimos

Squalus squatina (non Linnaeus, 1758), Squalus carcharis (Gunnerus, 1776), Somniosus brevipinna (Lesueur, 1818), Squalus borealis (Scoresby, 1820), Squalus norvegianus (Blainville, 1825), Scymnus gunneri (Thienemann, 1828), Scymnus glacialis (Faber, 1829), Scymnus micropterus (Valenciennes, 1832), Leiodon echinatum (Wood, 1846), e Somniosus antarcticus (Whitley, 1939)

Utilização culinária

Este tubarão faz parte da gastronomia da Islândia , sendo o Hákarl a iguaria mais conhecida com ele confeccionada. Consiste em peixe putrefacto e seco.

Tanto na Groenlândia como na Islândia, a carne do turbarão-da-groenândia é também utilizada como comida para cão, depois de seca.

www.megatimes.com.br