TUBARÃO MAKO OU TUBARÃO ANEQUIM (Isurus oxyrinchus)

Tubarão Mako ou Tubarão Anequim

Tubarão Mako ou Tubarão Anequim

Características: O Tubarão Mako, também conhecido como anequim, pode atingir 4m de comprimento e 600 Kg de peso. É o tubarão mais rápido dentre as espécies de tubarão, chegando a 88 km/h e dentre os peixes só é menos rápido que o atum. Corpo delgado, fusiforme e perfil hidrodinâmico. Focinho grande, pontiagudo e cônico. Olhos pretos e grandes. Boca estreita e parabólica. Dentes grandes, delgados e pontiagudos. Nadadeiras peitorais apresentam ápices estreitos, a primeira nadadeira dorsal grande e a segunda dorsal e anal, minúsculas. A superfície dorsal e os flancos são de cor azul acizentada metálica e o focinho branco e superfície ventral branca. É considerado perigoso para a espécie humana.

Habitat: águas oceânicas e costeiras até 150 m de profundidade.

Ocorrência: todo o litoral brasileliro.

Hábitos: muito ativo, freqüentemente observado realizando saltos fora d'água e empreendendo corridas velozes quando persegue suas presas.

Alimentação: pequenos e grandes peixes, inclusive tubarões, moluscos.

Reprodução: ovovivíparos, gerando de 8 a 16 filhotes, com aproxidamente 70 cm de comprimento cada. O macho chega a maturidade sexual com 2 m e 100 kg e a femea com 2,8 m e 200 kg.

Predadores naturais: tubarões maiores se alimentam dos filhotes de mako.

Ameaças: pesca predatória, poluição e destruição do habitat.

Tubarão AnequimTubarão-mako (Isurus oxyrinchus)

O Tubarão-mako ou tubarão-mako-cavala é um tubarão encontrado em mares tropicais e temperados, usualmente a temperaturas acima de 16ºC. Pertence a família Lamnidae.

Pode chegar até 4,3 metros de comprimento e possui uma cor azul metálica. É considerado o tubarão mais rápido, sendo um excelente nadador e podendo chegar aos 88 km/h, ultrapassado em velocidade apenas pelo atum. Consegue manter a sua temperatura superior à do meio.

Tubarão Mako Alimenta-se de peixes de alto-mar e de outros tubarões. Não foram registrados ainda casos de ataques a humanos, embora sua periculosidade seja questionável.

Isurus oxyrinchus

Ordem: Lamniformes

O tubarão-anequim, também conhecido como tubarão-mako, é famoso por sua velocidade impressionante, que pode chegar a 60 quilômetros por hora. Altamente valorizado por pescadores esportivos, os anequins são famosos pela habilidade em dar saltos, chegando a pular dentro dos barcos e ferir os pescadores quando são arpoados.

Como nadam muito rápido, os tubarões-anequins são capazes de perseguir peixes velozes demais para outros predadores, como o atum e o peixe-espada, além de outros tubarões. Costumam se meter em apuros por gostar tanto de peixes com presas grandes - muitos anequins capturados exibiam ferimentos inflingidos por peixes-espada. Devido à sua força e agressividade, são considerados perigosos para o homem e vários ataques fatais já foram relatados.

Tubarão Mako ou Tubarão AnequimTamanho máximo: 3,8 metros / 570kg.

Distribuição: Águas temperadas em todo o mundo, especialmente perto da costa, mas também ocorre em águas profundas tropicais.

Dieta: Peixes, especialmente espécies oceânicas, como o atum, o agulhão e o peixe-espada, além de outros tubarões.

Reprodução: São ovovivíparos e geram entre cinco e dez filhotes. Os filhotes mais fortes são conhecidos por devorar seus irmãos menos desenvolvidos dentro do útero da mãe.

www.megatimes.com.br

TUBARÃO OCEÂNICO, CARACTERÍSTICAS GERAIS DO TUBARÃO OCEÂNICO (Carcharhinus longimanus)

TUBARÃO OCEÂNICO
Características: considerado por alguns como o mais perigoso e agressivo de todos os tubarões, sendo conhecido por atacar náufragos no alto mar. É altamente desaconselhado o mergulho com estes animais na área. Possui uma primeira nadadeira dorsal muito grande de ápice arredondado e branco. Seu rosto é amplamente redondo. Nadadeiras peitorais são tanto quanto ou maiores do que a cabeça e com pontas arredondadas. Dentes muito fortes, de forma triangular e bordas afiadas. Superfície dorsal superior é de cor cinza parda e o ápice da primeira nadadeira dorsal, as nadadeiras peitorais, as nadadeiras pélvicas e o extremos da nadadeira caudal, brancos. Possui manchas escuras em quase todas as nadadeiras e a superfície ventral é branca. Atinge 4 m de comprimento.

Habitat: águas oceânicas. Ocasionalmente pode ser encontrado perto do litoral. Transita em profundidades de até 182 m.

Ocorrência: toda a costa brasileira.

Hábitos: são malvistos pelos pescadores, pelos danos que provocam a sua pesca. São de movimentos lentos, mas podem acelerar quando estão caçando. Costumam seguir os cardumes de peixes guiados por baleias.

Alimentação: atuns, marlins, golfinhos e baleias piloto. Ocasionalmente ataca tartarugas, aves marinhas, crustáceos, gasterópodos marinhos e carcaças de mamíferos marinhos.

Reprodução: vivíparo. A fêmea produz de 1 a 15 embriões por gravidez, e as crias nascem com 60 a 65 cm de comprimento total. Os machos chegam a maturidade sexual entre os 1,95 e 1,98 m e as fêmeas entre os 1,80 e 2 m de comprimento total.

Ameaças: poluição.

Fonte: www.megatimes.com.br

TUBARÃO "QUE ANDA" É DESCOBERTO NA INDONÉSIA


Tubarão "Que Anda"
Este tubarão mede no máximo 80 centímetros e é inofensivo para os seres humanos

Tubarão "Que Anda" é Descoberto na Indonésia

Foi descoberto na Indonésia uma nova espécie de tubarão que "caminha" no fundo do mar usando suas nadadeiras como patas foi descoberta no leste da Indonésia, informou um grupo ecologista. O tubarão com manchas marrons e brancas anda durante a noite pelo oceano em busca de peixes e mariscos para se alimentar, segundo a Conservation International, cujos cientistas participaram nesta descoberta, juntamente com membros do Museu da Austrália Ocidental.

Este animal, que mede no máximo 80 centímetros e é inofensivo para os seres humanos, foi descoberto em Halmahera, uma das Ilhas Molucas, localizada a oeste de Nova Guiné.

Ketut Sarjana Putra, diretor do grupo para a Indonésia, disse que este tubarão Hemiscyllium Halmahera poderia "ser um excelente embaixador para chamar a atenção do público para o fato de que a maioria dos tubarões são inofensivos para os seres humanos e merecem atenção e conservação".


TUBARÃO BRANCO, CARACTERÍSTICAS GERAIS DO TUBARÃO BRANCO (Carcharodon carcharias)

Tubarão BrancoTubarão Branco, características Gerais do Tubarão Branco (Carcharodon carcharias)

Carcharodon carcharias

Ordem: Lamniformes

É difícil não superestimar a reputação do enorme e majestoso tubarão branco. Um dos maiores predadores do oceano, é o tubarão mais conhecido em todo o mundo, graças à sua coloração única e atraente, seus olhos negros e seus dentes e mandíbulas ameaçadoras, que vêm estampando há décadas as capas das revistas.

Tubarão BrancoO gigante branco é um dos tubarões com maior distribuição, devido em parte à sua capacidade pouco habitual de manter a temperatura do corpo mais elevada do que a do ambiente que o rodeia, o que lhe permite sobreviver facilmente mesmo em águas muito frias. Embora seja raramente avistado em águas costeiras, ele costuma ser encontrado por pescadores e mergulhadores. Conhecido pela sua curiosidade – os tubarões-brancos costumam erguer a cabeça para fora da água –, ele gosta de explorar e morder objetos estranhos, o que o torna perigoso para os humanos. Muitos especialistas em tubarões acreditam que os ataques a humanos sejam resultado desse comportamento exploratório, que pode facilmente tornar-se fatal em virtude dos seus dentes muito afiados e da força das suas mandíbulas. Os tubarões-brancos são responsáveis pelo maior número de ataques fatais a humanos, principalmente a surfistas e mergulhadores.

A população de tubarões-brancos está diminuindo e eles são atualmente protegidos em várias partes do mundo. Mesmo assim, ainda são caçados como troféus. Existe até um mercado negro especializado em mandíbulas e dentes destes magníficos animais.

Tamanho máximo: Mínimo 6,1 m / 1.250 kg

Distribuição: Em mares tropicais e temperados do mundo inteiro.

Dieta: Peixes (incluindo outros tubarões), focas, golfinhos, carcaças de baleias, lulas, tartarugas e pássaros marinhos.

Reprodução: Ovovivíparos. Entre 5 a 10 crias por ninhada. Os filhotes de tubarão-branco são conhecidos por comer seus irmãos mais fracos, inclusive dentro do próprio útero.

Tubarão Branco
O tubarão-branco é o maior tubarão lamniforme encontrado em águas superficiais costeiras em todos os oceanos. É conhecido por seu tamanho, com registros de grandes indivíduos com mais 6 m de comprimento, e 2.268 kg de peso.

O tubarão-branco é, sem dúvida, o maior peixe macropredatório existente do mundo e um dos principais predadores de mamíferos marinhos. Sabe-se também que ataca uma variedade de outros animais marinhos, incluindo peixes, pinípedes, e aves marinhas. É a única espécie sobrevivente conhecida de seu gênero, Carcharodon, e está classificado em primeiro lugar na lista de número de ataques registrados a seres humanos. A IUCN trata o grande tubarão-branco como vulnerável, e na CITES está incluído no Apêndice II.

Apesar do seu nome, o tubarão é apenas branco na sua parte ventral, enquanto que a dorsal é cinzenta ou azulada. Como todos os tubarões, o tubarão-branco possui terminações nervosas que captam a menor vibração ocorrida na água e guiam o animal até sua presa. Outros receptores (conhecidos como ampolas de Lorenzini, são células especializadas, com uma forma similar à de minúsculas "garrafas") situadas em toda região da cabeça do animal, permitem-lhe captar também campos elétricos de frequência variável, que provavelmente usam para orientar-se nas suas migrações, percorrendo grandes distancias. O seu olfato é tão potente que a presença de uma só gota de sangue a quilômetros de distância serve para atraí-lo, ao mesmo tempo que o torna muito mais agressivo. A visão também é bem desenvolvida e tem um papel muito importante na aproximação final à presa e o seu peculiar estado sempre atento, permitindo o ataque a partir de debaixo da mesma.

O tubarão-branco vive sobre as zonas de plataforma continental, perto das costas, onde a água é menos profunda. É nestas zonas, onde a abundância de luz e correntes marinhas provocam uma maior concentração de vida animal, o que, para esta espécie, equivale a uma maior quantidade de alimento. Ainda assim, estão ausentes dos frios oceanos ártico e antártico, apesar de sua grande abundância em plâncton, peixes e mamíferos marinhos.

Tubarões-brancos são encontrados em quase todas as águas costeiras e de alto mar que tenham a temperatura da água entre 12 e 24°C, com maiores concentrações nos Estados Unidos (Nordeste do Atlântico e Califórnia), África do Sul, Japão, Austrália (especialmente Nova Gales do Sul e Sul da Austrália), Nova Zelândia, Chile, e no Mediterrâneo. Uma das mais densas populações conhecidas encontra-se em torno da Ilha Dyer, África do Sul, onde são feitas muitas pesquisas sobre o tubarão-branco.

Tubarão Branco
JustificarCaracterísticas: conhecido também como anequim, é tido como o mais perigoso dos tubarões. Possui corpo robusto, fusiforme e de perfil hidrodinâmico, com focinho relativamente curto e cônico. Olhos grandes, redondos e negros. Narinas situadas lateralmente, adjacentes à borda do focinho vista ventralmente. Fendas branquiais largas. Boca ampla e parabólica. Dentes triangulares e fortemente asserrados, muito afiados, localizados em sua mandíbula em várias fileiras ligeiramente inclinadas até o interior que, como em todos os tubarões, vão sendo substituído à medida que vão quebrando. Suas mandíbulas podem exercer a força de 3.000 quilos por centímetro quadrado (300 vezes mais que o ser humano). A primeira nadadeira dorsal é grande com o extremo posterior muito pequeno, enquanto que a segunda nadadeira dorsal e a anal são muito pequenas. Nadadeira caudal em forma de meia lua. A superfície dorsal e os flancos são de coloração cinza pardo ou preto, normalmente com uma mancha escura ao redor da axila da nadadeira peitoral. A superfície ventral é branca. Sua maior percepção é feita pela união do ouvido e tato, conectado a umas células ciliadas, localizadas principalmente na pele do focinho e das laterais. Através destas células pode detectar as correntes e vibrações, controlar a direção e perceber sons de baixa freqüencia, emitidos pelos peixes agonizantes. Também tem a sensibilidade do olfato muito desenvolvida, sendo capaz de detectar sangue a grandes distâncias e a visão, apesar de estar mais preparada para atuar em condições de escassa luminosidade, apresenta uma membrana chamada tapetum que atua como tela refletora, aumentando a sensibilidade do olho. Seu nado chega a uma velocidade de 40 km/h . Ele pode saltar todo para fora da água enquanto ataca sua presa. Os adultos podem alcançar 8 m de comprimento total e pesar até 2.000 Kg. A credita-se que o tubarão branco vive entre 30 e 40 anos.

Habitat: regiões costeiras e de águas exteriores da plataforma continental e insular. Pode penetrar em baías superficiais ainda que prefira as zonas próximas às ilhas, e habita tanto águas superficiais como profundas.

Ocorrência: todo o litoral brasileiro.

Hábitos: muito ativo, com uma modalidade de nado rígido e poderosoa que permite realizar deslocamentos por grandes períodos a uma velocidade relativamente baixa. Esta espécie ocupa a posição mais alta na lista de ataques a seres humanos e é responsável por 5 a 10 ataques anuais. Não obstante é difícil que o tubarão ataque, a menos que se equivoque na identidade da presa. A silhueta de um nadador vista por baixo, pode ser parecida com a de uma foca ou um leão marinho. Outras teorias demonstram que o ataque é produzido por uma agressão territorial ou um deslocamento competitivo, sendo que quase todos os ataques a humanos aparentam ter uma motivação não predatória.

Alimentação: superpredador que costuma a atacar suas presas por baixo. Caçador eficiente, ágil, rápido e capaz. Seu grande tamanho, poderosas mandíbulas, e relativamente eficiente locomoção e metabolismo fazem dele um predador versátil e de amplo espectro. Alimenta-se de peixes ósseos, outros tubarões e raias. Ocasionalmente se alimenta de tartarugas marinhas e aves. Os mamíferos marinhos constituem um item muito importante, caçando gofinhos, focas, elefantes marinhos, leões marinhos, lobos e provavelmente muitas outras espécies, incluindo carcaças de grandes cetáceos como também polvos e caranguejos. O grande tubarão branco é o maior predador e ocupa a escala mais alta no ecossistema marinho.

Reprodução: ovovivípara. O macho alcança a maturidade aos 8 anos e se distingüe por extensões das barbatans pélvicas que servem de órgãos copuladores. A fêmea alcança a maturidade aos 15 anos, e acredita-se que seja fértil durante um curto período de tempo, o que faz com que sua taxa reprodutiva seja baixa. O período de gestação é desconhecido, ainda que estima-se que deve superar os 12 meses. Podem reproduzir uma vez a cada dois anos, tendo entre 4 e 10 crias, que medem ao nascer aproximadamente 1,20 m.

Predadores naturais: baleia orca.

Ameaças: em 1975 o sucesso do filme "Tubarão" de Steve Spielberg, deu origem a uma lenda negra sobre esta espécie, gerando uma autêntica perseguição ao tubarão branco, que foi massacrado sistematicamente em todos os mares onde vive. Se encontra dentro da categoria de espécie ameaçada, graças a redução de suas fontes de alimento devido a exploração comercial excessiva, e pela captura esportiva por parte dos caçadores, com o objetivo de ganhar troféus ou partes do animal de interesse comercial. As estimativas são de que atualmente 10,000 adultos de tubarão branco sobrevivem no planeta, dos quais 500 são exterminados a cada ano.

Tubarão Branco
É uma espécie de tubarão lamniforme, que é o peixe predador de maiores dimensões existente na atualidade, mas não o maior. Os tubarões brancos podem atingir 7,5 metros de comprimento e pesar até 2,5 toneladas. Esta espécie vive em águas costeiras de todos os oceanos, desde que haja populações adequadas das suas presas, em particular pinípedes.

O Filme de terror Jaws (1975) foi uma produção de 8,5 milhões de dólares que fez um enorme sucesso e ajudou a mitificar a imagem do animal. Desde então, os Tubarões passaram a ser ainda mais perseguidos e assassinados pelos humanos.

Ataques a seres humanos

O tubarão-branco não é uma ameaça que requeira cuidados extremos. Sua dieta é composta basicamente por focas e leões-marinhos; isso se dá porque esses animais possuem muita gordura.

Os tubarões atacam humanos quando, por exemplo, um surfista vai para uma grande distância da praia, em mar aberto que é onde eles vivem, e quando o tubarão o vê remando com as mãos ele pensa que o indivíduo se trata de um leão-marinho e ataca. Como o corpo de humano não possui tanta gordura, o tubarão pode não partir para o segundo ataque.

O tubarão branco pode projetar sua mandíbula durante um ataque, o que aumenta o ângulo da mordida.

www.megatimes.com.br

TUBARÃO ANÃO, CARACTERÍSTICAS GERAIS DO TUBARÃO ANÃO (Squaliolus laticaudus)

Tubarão Anão

Tubarão Anão, Características Gerais do Tubarão Anão (Squaliolus laticaudus)


Tubarão Anão (Squaliolus laticaudus)

Squaliolus laticaudus

Ordem: Squaliformes

Considerado durante muito tempo como a menor espécie de tubarão, o tubarão-anão perdeu recentemente este título com a descoberta do pequeno Etmopterus Perryi. No entanto, não deixa de ser um peixe notável, já que com um comprimento máximo de 20 centímetros, ele está longe de se associar à imagem clássica do grande predador dos oceanos.

Como membro da ordem dos Squaliformes, ele faz parte de um grupo de tubarões muito variados que inclui, por exemplo, o tubarão-da-groenlândia. Outro parente próximo é o tubarão-português, que detém o recorde de profundidade – alguns exemplares já foram capturados a mais de 3.000 metros de profundidade.

O tubarão anão é uma espécie que vive em águas profundas e é uma das poucas espécies que apresentam bioluminescência. É provável que o seu ventre brilhe no escuro para atrair pequenas presas.

Tubarão Anão (Squaliolus laticaudus)Tamanho máximo: Cerca de 20 cm.

Distribuição: Oceanos temperados e tropicais do mundo inteiro, em águas muito profundas de até 2.000 metros.

Dieta: Pequenos camarões, lulas e peixes de águas profundas.

Reprodução: Incerta.

Fonte: www.megatimes.com.br

TUBARÃO BALEIA CARACTERÍSTICAS GERAIS DO TUBARÃO BALEIA

Tubarão Baleia Características Gerais do Tubarão Baleia


Tubarão Baleia Características Gerais do Tubarão Baleia


Rhincodon typus

Ordem: Orectolobiformes

O maior de todos os tubarões e o maior peixe vivo conhecido, o tubarão-baleia constitui um dos mais comoventes espetáculos do oceano. O seu tamanho colossal e a grande boca o tornam facilmente reconhecível, podendo ser visto perto da superfície em muitas águas tropicais ou subtropicais do mundo inteiro.

Tubarão BaleiaOs tubarões-baleia alimentam-se principalmente de plâncton, embora também comam regularmente cardumes de pequenos peixes e lulas. Ao contrário dos tubarões-frade, que simplesmente filtram enormes quantidades de água enquanto nadam, os tubarões-baleia sugam ativamente as suas presas antes de filtrá-las com eficácia. Já foram observados alimentando-se em grupos em lugares com grande concentração de determinados tipos de alimento.

Aparecem regularmente nos mesmos locais e em determinadas épocas do ano, provavelmente para aproveitar certos acontecimentos, como a desova dos corais e o florescimento regular de plâncton. Por esta razão, tornaram-se o centro de uma grande indústria de ecoturismo em algumas partes do mundo, principalmente na costa ocidental da Austrália, onde os mergulhadores fazem fila para ter a oportunidade de nadar junto com estas dóceis criaturas.

Os tubarões-baleia estão protegidos por lei em alguns países, mas são caçados em outros, principalmente em Taiwan e Filipinas. Mais de 100 tubarões são mortos anualmente somente em Taiwan, o que causa sérias preocupações quanto ao futuro de um peixe que cresce lentamente e que demora para atingir a maturidade.

Tubarão BaleiaTamanho máximo: Incerto. Provavelmente, chegam a 20 metros e pesam mais de 12 toneladas.

Distribuição: Todos os mares temperados quentes e tropicais, exceto o Mediterrâneo. É possível que seja um animal altamente migratório.

Dieta: Zooplâncton, pequenos peixes, lulas.

Reprodução: São vivíparos, com número de crias variado. Um exemplar em Taiwan continha mais de 300 fetos, o maior número já encontrado em um tubarão.

Tubarão Baleia

O maior de todos os tubarões e o maior peixe vivo conhecido, o tubarão-baleia constitui um dos mais comoventes espetáculos do oceano. O seu tamanho colossal e a grande boca o tornam facilmente reconhecível, podendo ser visto perto da superfície em muitas águas tropicais ou subtropicais do mundo inteiro.

Os tubarões-baleia alimentam-se principalmente de plâncton, embora também comam regularmente cardumes de pequenos peixes e lulas. Ao contrário dos tubarões-frade, que simplesmente filtram enormes quantidades de água enquanto nadam, os tubarões-baleia sugam ativamente as suas presas antes de filtrá-las com eficácia. Já foram observados alimentando-se em grupos em lugares com grande concentração de determinados tipos de alimento.

Aparecem regularmente nos mesmos locais e em determinadas épocas do ano, provavelmente para aproveitar certos acontecimentos, como a desova dos corais e o florescimento regular de plâncton. Por esta razão, tornaram-se o centro de uma grande indústria de ecoturismo em algumas partes do mundo, principalmente na costa ocidental da Austrália, onde os mergulhadores fazem fila para ter a oportunidade de nadar junto com estas dóceis criaturas.

Os tubarões-baleia estão protegidos por lei em alguns países, mas são caçados em outros, principalmente em Taiwan e Filipinas. Mais de 100 tubarões são mortos anualmente somente em Taiwan, o que causa sérias preocupações quanto ao futuro de um peixe que cresce lentamente e que demora para atingir a maturidade.

O tubarão-baleia pode chegar até os 20 m de comprimento e pesar mais de 12 toneladas. É encontrado em todos os mares temperados quentes e tropicais, exceto o Mediterrâneo. É possível que seja um animal altamente migratório.

A dieta do tubarão-baleia consiste de plâncton, macro-algas, krill, pequenos polvos e outros invertebrados.

Como ocorre com a maioria dos tubarões, os hábitos reprodutivos dos tubarões-baleia são obscuros. Baseando-se no estudo de um único ovo encontrado na costa do México em 1956, acreditava-se que eles fossem ovíparos, mas a captura de uma fêmea grávida em julho de 1996, contendo 300 filhotes de tubarão-baleia indica que eles são vivíparos com desenvolvimento ovovivíparo. Os ovos permanecem no corpo e as fêmeas dão luz a filhotes com 40 a 60 cm. Acredita-se que eles alcancem maturidade sexual por volta dos 30 anos e sua longevidade é estimada como sendo entre 60 e 130 anos.
Tubarão Baleia
Características: corpo aerodinâmico, cabeça comprimida, larga e aplainada. Boca transversal, muito grande e quase na ponta do focinho. As fendas branquiais são muito grandes, modificadas internamente em telas filtrantes. A primeira nadadeira dorsal é muito maior do que a segunda e voltadas para trás. A nadadeira caudal lobada em forma de semi-lua nos adultos. Nos jovens o lóbulo superior é consideravelmente mais longo do que o lóbulo inferior.

Os olhos pequenos são posicionados para trás nos lados da cabeça. A colortação dorsal é acinzentada, azulada ou amarronzada com pontos brancos entre listras pálidas, verticais e horizontais. A superfície ventral é branca. Dentes pequenos, aproximadamente 300 fileiras em cada maxila. Os dentes parecem não cumprir nenhum papel na alimentação. É o maior peixe do planeta. Pode atingir até 20 m de comprimento e 15 ton. Podem viver por 60 anos.

Habitat: pelágico de mar aberto, mas também pode ser encontrado próximos a ilhas oceânicas e regiões coralínicas.

Ocorrência: toda a costa brasileira.

Hábitos: podem realizar migrações transoceânicas. É pacífico.

Alimentação: plâncton, algas, pequenos peixes e crustáceos, e moluscos. Ao contrário d a maioria dos vertebrados de alimentação planctônica, o tubarão da baleia não depende do movimento lento para frente para operacionalizar o seu mecanismo de filtragem. Se utilizam de sucção versátil, que o permite extrair da água o alimento, em velocidades mais elevadas. Assim pode capturar com muita eficiência o plâncton. As telas de filtro mais densas agem como filtros mais eficientes pelas entradas curtas da sucção. Alimenta-se ativamente abrindo a boca, distendendo as maxilas e sugando.

Reprodução: ambos os sexos atingem a maturidade sexual quando atingem 9 m de comprimento. Ovovivíparos.

Predadores naturais: jovens podem ser consumidos pelo tubarão azul e o marlim azul.

Ameaças: poluição.


Tubarão BaleiaTubarão Baleia de 4m tirada nas Ilhas Maldivas.

O tubarão-baleia (Rhincodon typus), é a única espécie da família Rhincodontidae, vive em oceanos quentes e de clima tropical, além de ser a maior das espécies de tubarão e o maior peixe conhecido.Esta espécie é completamente inofensiva e alimenta-se de plâncton por filtração.

Nomenclatura: Esta espécie foi identificada pela primeira vez em 1828, na costa da África do Sul, mas a família Rhincodontidae foi criada apenas em 1984. O nome "tubarão baleia" surgiu graças ao tamanho desse peixe.

Distribuição e Habitat: O tubarão-baleia habita os oceanos tropicais e de água quente. Mesmo sendo pelágico, agrega-se, de forma sazonal, para alimentar-se em várias costas, como o recife de Ningaloo na Austrália, em Pemba, Útila, Honduras, Donsol, Filipinas, e Zanzibar na costa do leste da África. Seu habitat fica restrito a aproximadamente 30° de latitude desses locais. O tubarão-baleia é uma espécie solitária e raramente é vista em grupos, exceto em locais com alimentação abuntante, como o recife de Ningaloo. Machos convivem em distâncias maiores que as fêmeas, que normalmente tendem a permanecer em locais fixos.A pele destes peixes é marcada como um “tabuleiro de damas” de pontos claros e listras amarelas. Estes pontos são específicos em cada indivíduo, de modo que podem ser usados identificar cada animal e fazer uma contagem exata da população.Sua pele pode ter até 10 cm de espessura. O tubarão tem duas barbatanas dorsais. A cauda de um tubarão-baleia tem a parte superior maior do que a inferior, mas quando adulto a diferença diminui. O espiráculos do tubarão encontram-se justo atrás dos olhos.O tubarão-baleia não é um nadador eficiente; o corpo inteiro está em movimento quando o animal nada. O resultado deste movimento, que é muito incomum para tubarões, é uma velocidade média de ao redor 5 quilômetros por hora.

Alimentação: O tubarão-baleia se alimenta de fitoplâncton, macro-algas, plâncton, krill e pequenos polvos e invertebrados. As várias fileiras de dentes não atuam na alimentação, a água é constantemente empurrada para a boca atravessando e saem através dos arcos das brânquias. Qualquer material capturado é engolido. O tubarão pode fazer circular a água a uma taxa de até 1.7 L/s. Entretanto, também se alimenta de forma ativa, mirando concentrações de plâncton ou peixes através do olfato. De acordo com marinheiros, os tubarões-baleia se encontram nos arrecifes perto da costa caribenha de Belize suplementando sua dieta ordinária alimentando-se das ovas de caranhos gigantes que enxameiam nessas águas em maio, junho e julho entre a lua cheia e os quartos crescente e minguante desses meses.

Tubarão BaleiaUm comparativo entre os tamanhos do tubarão-baleia e do homem.
Ilustração: Robbie Cada

Comportamento: Quando se explica que a maioria dos tubarões não são perigosos para os humanos, esta espécie é geralmente usada como o exemplo principal. Mergulhadores podem nadar ao redor do gigantesco peixe sem problema algum.Os tubarões são freqüentemente vistos na Tailândia, nas Maldivas, no Mar Vermelho, na Austrália ocidental (Arrecife de Nigaloo), na Reserva Marinha de Gladden Spit, em Belize e nas ilhas Galápagos. São regularmente vistos entre dezembro e maio nas Filipinas (Donsol). Mergulhadores afortunados também se encontraram com tubarões-baleia nas Seychelles e em Porto Rico. Entre dezembro e setembro, é bem sabido que eles nadam ao longo da baía de La Paz na Baixa Califórnia mexicana.

Reprodução: Como ocorre com a maioria dos tubarões, os hábitos reprodutivos dos tubarões-baleia são obscuros. Baseando-se no estudo de um único ovo encontrado na costa do México em 1956, acreditava-se que eles fossem ovíparos, mas a captura de uma fêmea grávida em julho de 1996, contendo 300 filhotes de tubarão-balei indica que eles são vivíparos com desenvolvimento ovovivíparo. Os ovos permanecem no corpo e as fêmeas dão luz a filhotes com 40 a 60 cm. Acredita-se que eles alcancem maturidade sexual por volta dos 30 anos e sua longevidade é estimada como sendo entre 60 e 150 anos.

Importância para o homem: O tubarão-baleia é visado pela pesca artesanal e pela indústria pesqueira em várias áreas onde eles se juntam sazonalmente. A sua população é desconhecida e esta espécie é considerada vulnerável pela IUCN. Sabe-se que os tubarões-baleia freqüentam as águas na costa de Donsol na província Sorsogon das Filipinas. Um tubarão-baleia é, também, a principal atração do Osaka Aquarium Kaiyukan.No ano de 2005, três tubarões-baleia estavam sendo estudados em cativeiro no Aquário Okinawa Churaumi no Japão. Quatro tubarões-baleia, incluindo dois machos, Ralph e Norton e duas fêmeas, Alice e Trixie, são mantidos no Aquário da Georgia, que abriu em 2005 em Atlanta. As duas fêmeas foram adicionadas ao grupo em 3 de junho de 2006 com a esperança de que sua reprodução pudesse ser estudada em cativeiro. Todos os quatro tubarões foram importados de Taiwan pela UPS.

www.megatimes.com.br

Posts Relacionados