BISHNOIS - OS PRIMEIROS AMBIENTALISTAS DA ÍNDIA

Bishnois - Os primeiros ambientalistas da Índia

A palavra Bishnoi é derivada do bis (vinte) e nai (nove), ou seja 29 seguidores do Guru Jambheshwar Dado por princípios. A cerca de 540 anos atrás o Guru Jambheshwar elaborou em forma de mensagem vinte e nove princípios para proteger árvores e animais selvagens, onde dizia que se o homem prejudicar o meio ambiente estará prejudicando a si mesmo. Os princípios não eram apenas adaptado para conservar a biodiversidade da área onde viviam, mas também assegurou uma vida social ecologicamente saudável para a comunidade.

Dos vinte e nove princípios, dez são direcionados a uma boa higiene básica para saúde, sete para comportamento social saudável, e cinco princípios para adorar a Deus. Oito princípios têm foram prescritos para preservar a biodiversidade e incentivar a sustentabilidade. Estes incluem a proibição de matar animais e corte de árvores, e promover a proteção de todas as formas de vida. A comunidade Bishnoi é direcionada ao uso da lenha desde que seja sem pequenos insetos. Os Bishnois não se vestem com tecidos azuis, são proibidos porque a tintura para colori-los é obtido a partir uma grande quantidade de arbustos.

Em 1730, 363 Bishnois sacrificaram  suas vidas abraçando as árvores para protegê-las dos homens do rei de Jodhpur. Este incidente aconteceu em Khejarli que é uma vila que fica a 26 km do distrito de Jodhpur no Rajasthan.

História

A doutrina Bishnoi foi fundada pelo Guru Jambheshwar de Bikaner, que nasceu em 1451, e, após sua morte, foi enterrado no Talwa / Mukam em Bikaner. Seu nome espiritual era Jambhaji. Ele deixou para seus seguidores um livro sagrado chamado Shabdwani que consiste de 120 Shabds. Os adeptos da seita são os descendentes de imigrantes de Bikaner, Haryana no Punjab, sendo alguns exclusivamente da casta Jats ou rajputs, muitos deles abandonaram o nome de casta e se  autodenominam simplesmente como Bishnois. Eles não permitem que o casamento castas diferentes. Sua principal ocupação é o comércio, mas na atualidade os Bishnois têm migrado drasticamente nas funções profissionais, principalmente para a área de  Tecnologia da Informação (TI), engenharia, funcionalismo público, serviços de defesa, diplomacia e assistência social.

Lugares de peregrinação

Os lugares mais importantes de peregrinação dos Bishnois está situado na vila chamada Mukam em Nokha Tehsil e Bikaner no Rajasthan. Outros importantes lugares de peregrinação que pertencem ao Bishnois são Samrathal Dhora (situado a 3 km de distância do Mukam) Pipasar, Jangloo, Lohawat, Lodipur, Bhur Tiba e Vishnoi Prachin Mandir Distrito Kanth, Moraújo, Sameliya, Rotu, Lalasar e Jambolav.

Proteção da Flora e Fauna

Os Bishnois são amantes de animais silvestres. Nos últimos anos, a comunidade Bishnoi fez grandes protestos contra a matança de alces negros praticada por Salman Khan, uma estrela de cinema de Bollywood,  filho de Mansur Khan de Pataudi, um ex-jogador de críquete indiano.

O Massacre Khejarli

Os Bisnois narra a história de Amrita Devi, uma mulher Bishnoi que, junta com outros 363 Bishnois, morreu salvando as árvores da vila de Khejarli. Quase dois séculos atrás, Maharajah Abhay Singh de Jodhpur exigindo madeira para a construção de seu novo palácio. Então o rei enviou seus soldados para cortar árvores na região vizinha de Khejarli, onde a aldeia tinha grande número de árvores. Mas Quando Amrita Devi, e os moradores locais souberam sobre a derrubada das árvores, ela e outros Bishnois se opuseram aos homens do rei. O rei disse que lhes daria dinheiro em troca da madeira, mas Amrita e os Bishnois recusaram a oferta do rei ao falar que considerava isso como um ato de afronta à sua fé religiosa e preferiram dar as suas vidas para salvar as árvores ao invés de vendê-la como madeira ao rei de Jodhpur. Isto ainda é lembrado como o grande sacrifício Khejarli. Alguns Bishnois que foram mortos protegendo as árvores foram enterrados na aldeia de Khejarli, onde uma única sepultura com quatro pilares havia sido erguida. Todos os anos, no mês de setembro, ss Bishnois homenageiam em memoria aos sacrifício feito de forma extrema para preservar sua fé que está pautada na preservação do meio ambiente.

MEIO AMBIENTE E BIODIVERSIDADE

Meio ambiente e biodiversidade

A grande extensão territorial do Brasil abrange diferen- tes ecossistemas, como a floresta Amazônica, reconhecida como tendo a maior diversidade biológica do mundo, a mata Atlântica e o Cerrado, que sustentam também grande biodiversidade, sendo o Brasil reconhecido como um país megadiverso. No sul, a floresta de araucárias cresce sob condições de clima temperado.

A rica vida selvagem do Brasil reflete a variedade de habitats naturais. Os cientistas estimam que o número total de espécies vegetais e animais no Brasil seja de aproximadamente de quatro milhões. Grandes mamíferos incluem pumas, onças, jaguatiricas, raros cachorros-vinagre, raposas, queixadas, antas, tamanduás, preguiças, gambás e tatus. Ve ados são abundantes no sul e muitas espécies de platyrrhini são encontra- das nas florestas tropicais do norte. A preocupação com o meio ambiente tem crescido em resposta ao interesse mundial nas questões ambientais.

O patrimônio natural do Brasil está seriamente ameaçado pela pecuária e agricultura, exploração madeireira, mineração, reassentamen- to, desmatamento, extração de petróleo e gás, a sobrepesca, comércio de espécies selvagens, barragens e infraestrutura, contaminação da água, fogo, espécies invasoras e pelos efeitos do aquecimento global. Em muitas áreas do país, o ambiente natural está ameaçado pelo desenvolvimento. A construção de estradas em áreas de floresta, tais como a BR-230 e a BR- 163, abriu áreas anteriormente remotas para a agricultura e para o comércio; barragens inundaram vales ehabitatsselvagens; e minas criaram cicatrizes na terra e poluíram a paisagem.

MEIO AMBIENTE NO MUNDO - O QUE FAZER PARA PRESERVÁ-LO

Meio ambiente no mundo - o que fazer para preservá-lo

A sociedade contemporânea, adepta cada vez mais do consumismo e da industrialização, nos últimos anos, vem se preocupando mais com os impactos ambientais causados pela exploração desmedida dos recursos naturais. Perceber a fragilidade do meio ambiente é um dos primeiros passos para compreender a melhor maneira de explorá-lo de maneira sustentável.

A extração dos recursos ambientais ocorre sob duas vertentes distintas que são a exploração dos recursos renováveis (madeira, luz solar, animais, vento entre outros) e dos recursos não renováveis (petróleo, carvão, gás natural, minerais entre outros). A utilização dos recursos renováveis, apesar de ser mais onerosa, deve, progressivamente, substituir a utilização dos recursos não renováveis. A diminuição da poluição é o fator mais substancial para que essa troca seja concretizada em um futuro próximo.

A preservação ambiental não contempla apenas os aspectos inerentes ao processo de exploração. O destino dos resíduos provenientes da produção e utilização de produtos industrializados também é de suma importância para que não ocorra a contaminação de lençóis freáticos, manguezais, florestas, entre outros locais que são sensíveis ao acúmulo de resíduos industriais. Programas de reciclagem e aquisição de produtos duráveis são alternativas válidas para contornar essa situação.

O processo de conscientização é a maneira mais eficiente de inserir o conceito de sustentabilidade e preservação de maneira funcional para a população, a partir do momento em que o indivíduo compreenda a importância do meio ambiente para o futuro das próximas gerações, ele se esforçará para deixar um mundo melhor para seus filhos e netos.

OS 10 MELHORES PARQUES URBANOS DO MUNDO

Os 10 melhores parques urbanos do mundo


São Paulo - Pense rápido: quantas vezes por dia você tem a chance de curtir um momento com a natureza? Pouco, quase nunca? Não precisa ser assim.

Com gestão focada na saúde e no bem-estar, é possível incluir mais áreas verdes nas grandes cidades. E quanto maior o investimento nessas áreas, maior o retorno. Prova disso é a lista de melhores parques do mundo, compilada pela Trip Advisor.

As 10 atrações destacadas - entre elas, um xodó paulistano, o Parque Ibirapuera - promovem beleza, bem-estar e renda para o turismo. Exemplos que inspiram e devem ser replicados pelos planejadores urbanos.

Conheça a seguir os melhores parques do mundo, segundo seleção do TripAdvisor.

1 - Stanley Park

Onde fica: Vancouver, Canadá

Verdadeiro oásis verde em meio à paisagem citadina, o Stanley Park é o primeiro, maior e mais amado parque urbano de Vancouver. São 400 hectares de floresta natural, com vistas panorâmicas entrecortadas por montanhas, lagos, céu azul e árvores majestosas. É possível desfrutar das trilhas e belas praias, conhecer a fauna local, os marcos naturais, culturais e históricos, além de muitas outras atrações.

Stanley Park

2 - Garden of The Gods

Onde fica: Colorado, EUA

O que esperar de um parque que se chama Jardim dos Deuses? Seus 300 milhões de anos de história geológica revelam uma das paisagens mais notáveis dos Estados Unidos: rochas profundamente vermelhas e rosas moldadas pela ação do tempo e do vento. É um ótimo lugar para caminhadas, escalada, mountain bike e cavalgadas.

Garden of The Gods

3 - Central Park

Onde fica: Nova York, EUA

Cenário de inúmeros filmes e séries de TV, o mais famoso parque de Nova York não poderia estar de fora da lista. O Central Park é um convite para esquecer de todo o concreto, barulho, tráfego pesado e o corre-corre da multidão de gente que parece se deslocar em bloco pela cidade.

Central Park

4 - Millennium Park

Onde fica: Chicago, EUA

Combinando paisagens naturais com árvores frondosas, jardins e esculturas, os parques estão por todas as partes em Chicago, ocupando 8% do território da cidade. Com 100 mil metros quadrados de área verde, o Millennium Park, quarto colocado no ranking do TripAdvidor, foi inaugurado em 2004 e desde então tornou-se uma das áreas residenciais mais desenvolvidas e caras da cidade.

Millennium Park

5 - High Line Park

Onde fica: Nova York, EUA

No lugar de vagões de carga, canteiros com plantas, jardins, bancos de madeira elegantes e espreguiçadeiras, guarda-sóis, pista exclusiva para pedestres, nada de semáforos. Assim é o High Line (Linha Elevada), parque nova-iorquino erguido em 2009 sobre uma antiga linha férrea da cidade, que se tornou atração turística concorrida e exemplo mundial de urbanismo sustentável.

High Line Park

6 - Kings Park

Onde fica: Perth, Austrália

O Kings Park é uma mistura de parque e jardim botânico. Com vistas panorâmicas sobre o Rio Swan e Darling Range, é o lar de mais de 300 variedades de plantas nativas e 80 espécies de aves. Por ano, recebe mais de 5 milhões de visitantes. Além de instalações turísticas, também se encontra lá o Memorial da Guerra, o clube Royal Kings Park Tennis e um reservatório de água. As ruas são arborizadas com placas individuais dedicadas aos homens e mulheres que morreram nas duas Gerras Mundiais.

Kings Park

7 - Parque Güell

Onde fica: Barcelona, Espanha

Sétimo melhor parque do mundo segundo o TripAdvisor, o Parc Güel é uma combinação estonteante de área verde e inovadoras formas arquitetônicas e esculturais, cortesia do gênio Antoni Gaudí. A atração catalã recebe mais de 4 milhões de visitantes por ano.

Parque Güell

8 - Parque Ibirapuera

Onde fica: São Paulo, Brasil

Fundado em 1954, o Parque Ibirapuera é um xodó paulistano que recebe mais de 14 milhões de visitantes por ano. Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer e o paisagista Burle Marx, o Ibirapuera é lar de atrações culturais e naturais que reconfortam e revitalizam os mais cansados da vida corrida em São Paulo.

Parque Ibirapuera

9 - Buen Retiro Park

Onde fica:  Madri, Espanha

Mais um parque espanhol aparece entre os melhores do mundo. O Buen Retiro Park é um magnífico parque, cheio de belas esculturas e monumentos, galerias, um lago calmo, que o transformam numa das principais atrações de Madri. O parque pertencia à monarquia espanhola até o final do século 19, quando se tornou público.

Buen Retiro Park

10 - Jardins de Luxemburgo

Onde fica: Paris, França

A Primavera torna os Jardins de Luxemburgo, nas dependências do Palácio de Luxemburgo, sede do senado francês, uma atração concorridíssima em Paris. Esse cartão postal possui um lago, fontes e árvores imponentes, além de coloridos canteiros de flores. O espaço também funciona como uma galeria de arte a céu aberto, com importantes esculturas e coleções que remontam ao século XVI.

Jardins de Luxemburgo

O QUE É AGRICULTURA URBANA?

A agricultura urbana é uma tendência e surgiu nas ultimas décadas nas cidades de porte médio e pequenas da Europa e consiste em produzir alimentos nos espaços de cidades ou metrópole, cultivando, produzindo, criando, processando e distribuindo uma diversidade de produtos alimentares e não alimentares, utilizando os recursos humanos e materiais, produtos e serviços encontrados dentro ou em redor da área urbana. Essa modalidade agrícola tornou-se necessário diante do cenário de degradação ambiental nas regiões em torno dos centros urbanos e nas regiões habitadas em si. A partir da segunda metade do século XIX em todo o mundo, principalmente em áreas tão essenciais e necessárias à sobrevivência humana como as florestas, a degradação ambiental agravou-se em grandes proporções, surgindo, a partir daí, a necessidade de preservar áreas essenciais à biodiversidade. Na agricultura urbana é importante considerar modos de uso alternativos da terra, porque os modelos atuais demonstram claramente sua insustentabilidade. Originalmente mais de 83% da área geográfica do Brasil era recoberta por florestas, no entanto, o intenso processo de ocupação a partir do litoral conduzido pela expansão da agricultura do sistema de monocultura.

Do ponto de vista da sustentabilidade, que se refere à habilidade de manter o meio ambiente e a produção em condições de equilíbrio  por um determinado prazo. Hoje em dia, este conceito vem sendo transformado em um princípio, segundo o qual “o uso dos recursos naturais para a satisfação de necessidades presentes não pode comprometer a satisfação das necessidades das gerações futuras”, o que requer a vinculação da sustentabilidade a longo prazo. Assim, esta palavra “sustentabilidade”, ou este conceito, vem sendo largamente utilizado atualmente em diversos meios de comunicação, tem em seu significado um peso muito grande, pois pode envolver diversos ramos da vida, podendo se referir desde a conservação de ecossistemas inteiros, incluindo meios bióticos e abióticos, de modo a mantê-los intocados. O conceito também relaciona-se à sustentabilidade da vida humana no planeta, atentando então para aprimoramento dos processos de obtenção de energia, matérias-primas em geral e principalmente alimentos.

Como Segurança Alimentar entende-se “Garantia do direito de todos ao acesso a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente e de modo permanente, com base em práticas alimentares saudáveis e sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais nem o sistema alimentar futuro, devendo se realizar em bases sustentáveis. Todo o País deve ser soberano para assegurar sua segurança alimentar, respeitando as características culturais de cada povo, manifestadas no ato de se alimentar. É responsabilidade dos Estados Nacionais assegurar este direito e devem fazê-lo em obrigatória articulação com a sociedade civil, cada parte cumprindo suas atribuições específicas”.

Com o desenvolvimento das Ciências Ambientais, os responsáveis por planejamento e desenvolvimento espacial de cidades começaram a enfatizar a importância das relações entre o homem e a natura no ambiente urbano, e consequentemente, a importância dos quintais ou jardins, pois estes estão se tornando cada vez mais raros em metrópoles, apesar de serem, para um número crescente de comerciantes e consumidores, o contato mais imediato e facilitado com algo natural em seu cotidiano.

posts e comentários.