CITOLOGIA - BREVE HISTÓRICO DA DESCOBERTA DA CÉLULA


Citologia (Biologia Celular) é o ramo da Biologia que estuda as células, unidades microscópicas que constituem o corpo de todos os seres vivos, exceto os vírus. A Citologia teve origem com a invenção do microscópio, aparelho capaz de aumentar a imagem de pequenos objetos.

A invenção do microscópio
Antes de Cristo os Assírios já conheciam a propriedade que os vidros esféricos tinham de aumentar as imagens. Porém, esta propriedade só passou a ser explorada na Europa a partir de 1300 d.C, quando lentes começaram a ser empregadas para melhorar a visão.

No início do século XVII foi descoberto que ao colocar corretamente duas lentes em um tubo obtém-se um aparelho que olhado por um dos lados permitia a observação de objetos distantes (telescópio de Galileu).

Sabe-se que Galileu não foi o inventor do telescópio. Essa invenção veio certamente da Holanda, pois há registros de que em outubro de 1608 havia, em Haia, dois pedidos de patentes de pequenas lunetas – um de Hans Lipperhey e o outro de Jacob Metius.

Estas pequenas lunetas proporcionavam apenas um aumento de 3X, mas foram aperfeiçoadas por Galileu, que em 1609, construiu três lunetas a primeira com aumento de 3X, a segunda com 8X e a terceira com 20X. Esta última lhe permitiu realizar várias descobertas sobre a Lua, Vênus, as estrelas e a Via Láctea, tendo também e descoberto quatro dos satélites de Júpiter (Damineli; Napoleão, 2009).

Também se verificou que o mesmo aparelho, quando olhado pelo outro lado permitia observar objetos pequenos invisíveis a olho nu (microscópio de Galileu).

A invenção do microscópio composto por dois conjuntos de lentes também é credita a dois holandeses Zacharias Janssen e Cornelius Drebbel. Porém a falta de tecnologia para um polimento perfeito das lentes causava muitas distorções luminosas. Os microscópios compostos foram evoluindo com a introdução de sistemas de iluminação ou a adição de uma terceira lente junto à ocular, por Christiaan Huygens (1629-1695) e Johannes Havelke (1611-1687).

A descoberta da célula
Influenciado por Leeuwenhoek, o inglês Robert Hooke construiu um microscópio com duas lentes ajustadas nas extremidades. Hooke utilizou microscópios compostos, dotados de uma lente ocular pela qual se olha, e uma lente objetiva, que vai próxima ao objeto observado.

As partes fundamentais de uma célula
Em 1833, o pesquisador inglês Robert Brown descobriu que a maioria das células apresentava uma estrutura interna esférica ou ovóide, que ele chamou de núcleo.

Os cientistas concluíram que tanto as células de plantas quanto as de animais eram revestidas de uma finíssima película, denominada membrana plasmática. No caso das células vegetais, há ainda, externamente à membrana plasmática, mais um envoltório, geralmente espesso e resistente, que recebe o nome de parede celular.

No início do século passado, portanto, já haviam sido descobertas as três partes fundamentais das células que constituem os seres vivos: membrana plasmática, citoplasma e núcleo.

A Teoria Celular
Em 1838, depois de estudar os trabalhos de diversos pesquisadores, o botânico Mathias Jakob Schleiden concluiu que todas as plantas eram formadas por células. Um ano depois, o zoólogo Theodor Schwann chegou a mesma conclusão para os animais: todos se compunham de células. Fortalecia-se assim a idéia de que a célula era a unidade de que constituía todos os seres vivos. Essa generalização ficou conhecida como Teoria Celular.

A formulação da Teoria Celular teve importância para o desenvolvimento da Biologia, porque permitiu reconhecer que seres tão diversos como a ameba e o ser humano têm grande semelhança no nível microscópio. Ambos são constituídos por células bastante parecidas, embora a ameba seja unicelular, e uma pessoa seja pluricelular.

Segundo a Teoria Celular, a célula é a unidade morfofisiológica dos seres vivos.

Os vírus são os únicos seres vivos que não apresentam organização celular. Eles são organismo simples, constituídos por uma molécula de ácido nucléico associada a proteínas.

Bibliografia
  • http://www.fontedosaber.com
  • http://www.teliga.net

Gostou? Compartilhe:
posts e comentários.