Mostrando postagens com marcador Mamíferos. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Mamíferos. Mostrar todas as postagens

Ocapis (Okapia johnstoni)

Ocapis (Okapia johnstoni) 

Os Ocapis (Okapia johnstoni) juntamente com as girafas são os únicos representantes da família Giraffidae. O ocapi é uma espécie africana nativa da República Democrática do Congo, habita florestas fechadas e úmidas.

Classe: Mammalia
Ordem: Cetartiodactyla
Família: Giraffidae
Gênero: Okapia
Espécie: Okapia johnstoni

Apresenta coloração castanho-escura com tonalidades avermelhadas, as patas dianteiras e traseiras possuem listras brancas semelhantes às zebras.

Ocapis (Okapia johnstoni)
Ocapi (Okapia johnstoni)
A estrutura corporal assemelha-se com a girafa, porém o pescoço é bem menor. Atinge de 2 a 2,5 m de comprimento, a altura nos ombros varia de 1,5 a 2 m e pesa de 200 a 250 kg.

Possui olhos e orelhas grandes, a língua é azul, preênsil e longa chega a 30 cm de comprimento e, é utilizada para recolher folhas e brotos das árvores e também, por ser tão comprida, para limpar suas pálpebras e orelhas. A cauda tem cerca de 40 cm de comprimento. Os machos têm um par de chifres cobertos por pele entre as orelhas.

O ocapi é um animal de hábitos diurno e solitário, exceto no período reprodutivo. Herbívoro, sua alimentação é composta por folhas, brotos, relva, samambaias, fungos e frutos.

O tempo de gestação é de 14 a 15 meses e nasce apenas um filhote pesando aproximadamente 16 kg que é amamentado por 10 meses.

Apesar de ser uma espécie protegida por lei, o ocapi está quase ameaçado devido ao desmatamento de seu habitat e a caça ilegal em função de sua carne e pele.

Gerenuk ou Gazela Girafa (Litocranius walleri)

Gerenuk ou Gazela Girafa (Litocranius walleri)

O Gerenuk ou gazela-girafa (Litocranius walleri) é um antílope encontrado em regiões áridas da África. Tal espécie possui pescoço muito longo e fino, que lembra o das girafas.

Gerenuk ou Gazela Girafa (Litocranius walleri)
Gerenuk ou gazela-girafa (Litocranius walleri)
Gerenuks tem uma cabeça relativamente pequena para o seu corpo , mas os seus olhos e orelhas são proporcionalmente grandes. Apenas os machos têm chifres e eles também têm um pescoço mais musculoso do que as fêmeas . Ambos os sexos têm pelagem marrom avermelhadas com um baixo-ventre mais pálido . Eles têm , caudas pontas pretas curtas. O gerenuk é facilmente reconhecível a partir do seu pescoço longo e magro distintivo que pode ser alongada ainda mais se for necessário para atividades como alimentação fora os arbustos mais altos e vegetação rasteira do deserto. Ele também tem pernas finas extremamente longos que são outra grande vantagem que eles podem galopar na distância a velocidades muito altas a partir de qualquer tipo de predador tentar atacar . No entanto, devido ao comprimento das suas pernas extremo , elas podem ser mais susceptíveis a fractura do osso da perna. Houve muitas ocasiões em que gerenuks realmente bati as pernas longas , devido ao tropeçar e tropeçando no chão. Da cabeça à cauda , o gerenuk é cerca de 150 centímetros ( 59 in) de comprimento. Os machos são um pouco mais alto do que as fêmeas , em 89-105 cm (35-41 in) de altura, com as fêmeas normalmente 80-100 cm ( 31-39 in) de altura. O macho também é mais pesado do que a fêmea , pesando 45 kg (99 lb), enquanto as fêmeas pesam cerca de 30 kg (66 lb) . Muitos criadores de gerenuks e zoólogos têm descrito gerenuks como sendo animais extremamente humilde , sempre ajudando colegas gerenuks . Em antigos contos tribais africanos , o gerenuk tem sido muitas vezes coroada "Rainha de humildade . "

Capivara | Hydrochoerus hydrochaeris

Capivara | Hydrochoerus hydrochaeris

Nome comum: Capivara

Nome científico: Hydrochoerus hydrochaeris

Classe: Mammalia

Ordem: Rodentia

Família: Caviidae

Capivara (Hydrochoerus hydrochaeris) é o maior roedor do mundo. Adora tomar um banho de rio, onde chega a ficar horas só com o focinho de fora d' água. Mamífero bastante dócil, pode alcançar até 1 m de comprimento. Alimenta-se de vegetais e sua carne é muito procurada como fonte de alimento pelas populações do interior do Brasil. Espécie única da família dos Hidroquerídeos, mesma ordem dos Roedores.

Capivara | Hydrochoerus hydrochaeris
Capivara | Hydrochoerus hydrochaeris

Boto-Cor-de-Rosa | Inia geoffrensis

Boto-Cor-de-Rosa | Inia geoffrensis

Nome científico: Inia geoffrensis
Classificação: Espécie
Classificação superior: Inia
Encontrado: Rio Amazonas, Rio Orinoco, Rio Araguaia, Rio Tocantins
Nomes Comuns: Boto-cor-de-rosa, boto-vermelho, boto-rosa, boto-malhado, boto-branco, boto, costa-quadrada, cabeça-de-balde ou uiara .

Os Boto-Cor-de-Rosa (Inia geoffrensis) são conhecidos por serem brincalhões como os golfinhos e pertencem à subordem dos Odontocetos. Alimentam-se de peixes, lulas e crustáceos, os quais conseguem engolir sem mastigar. Eles têm olhos pequenos e não enxergam muito bem. Para se comunicar e se guiar eles emitem gritos finos e prestam atenção ao eco dos sons na água. Os pelos do bico também ajudam, pois tem função de tato e de direção, ou seja, servem para o boto saber para onde está indo e sentir o que vem pela frente.

Boto-Cor-de-Rosa | Inia geoffrensis

Há uma grande procura pelos olhos do boto cor-de-rosa, considerados amuletos de amor: as pessoas acreditam que quem tem um olho desses arranja namorado ou namorada fácil. Um dos mais conhecidos é o boto-cor-de-rosa, única espécie da família dos Inídeos, que vive exclusivamente nos rios da bacia amazônica e do Orinoco. Atinge um comprimento máximo de 2,5 m e seu peso pode ultrapassar os 160 quilos. Com a idade, a coloração geral clareia, tornando-se rosada. Os adultos, principalmente os machos, podem se tornar inteiramente cor-de-rosa, quase vermelhos.

O nome de boto-cinza é dado a um membro da família dos Delfinídeos, a mesma dos golfinhos, só é encontrado apenas na América do Sul e parte da América Central e apresenta-se em duas formas: fluvial e marinha. Uma espécie que às vezes é confundida com o boto-cinza é a franciscana, pequeno cetáceo da família dos Pontoporídeos (alguns autores a classificam como família dos Platanastídeos), também conhecida como boto-cachimbo.
Lenda - Diz a lenda que nas noites de festa, o boto transforma-se em um belo rapaz vestido de branco e usando um chapéu, dança muito bem e gosta de beber. Como um cavalheiro, ele conquista e encanta a jovem mais bonita e a leva para o rio. Após um tempo, a moça aparece grávida. Dizem algumas versões do mito que, o boto, quando está transformado em homem, nunca tira o chapéu branco para que não lhe vejam o orifício que tem no alto da cabeça. A lenda do boto é mais uma crença que o povo costumava lembrar ou dizer como piada quando uma mulher fica grávida e se desconhece a paternidade. Daí se diz: "Foi o boto."

Bicho-Preguiça | Bradypus tridatylus

Bicho-Preguiça | Bradypus tridatylus

Nome comum: Bicho-Preguiça 
Nome científico: Bradypus tridatylus
Classe: Mammalia
Ordem: Xenartha
Família: Bradypodidae
O Bicho-Preguiça (Bradypus tridatylus) é considerado um animal muito sossegado. Anda muito devagar. Dorme o dia todo nas árvores, pendurada num galho pelos quatro pés, de costas para o chão e com a cabeça pendida sobre o peito. A preguiça fica nessa posição durante horas, sem se mexer. Sua reações, sua digestão e até sua respiração são lentas. É um mamífero de hábitos noturnos.

Bicho-Preguiça | Bradypus tridatylus
Bicho-Preguiça | Bradypus tridatylus

Vive em pequenos bandos nas florestas tropicais da América do Sul. Raramente desce das árvores e é quase não se movimenta no chão, embora saiba nadar muito bem. Orienta-se pelo olfato, pois tem uma visão muito fraca. A pelagem é coberta de algas verdes que tornam a preguiça quase invisível no meio das folhas. No tempo frio, a preguiça entra em letargia (perda temporária e completa da sensibilidade e movimento por causa fisiológica).

Alimenta-se apenas das folhas, frutos e brotos de algumas árvores, especialmente de Embaúba. É um animal inofensivo . É capaz de girar a cabeça de tal forma que a cara pode ficar nas costas.
Características do Bicho-Preguiça
Peso: máximo de 8 Kg.
Comprimento: até 60 cm, mais 8 cm de cauda. Pés com 3 dedos.
Período de gestação: 120 a 180 dias, um filhote por ano.

Ariranha | Pteronura brasiliensis

Ariranha | Pteronura brasiliensis

Nome Comum: Ariranha
Nome Científico: Pteronura brasiliensis
Classe: Mammalia
Ordem:  Carnivora
Família: Mustelidae

A Ariranha (Pteronura brasiliensis) é um animal semelhante à lontra e que é encontrada em todo o Brasil. Ótima nadadora, mergulha bem, alimenta-se de peixes e moluscos e vive em bandos de até 20 elementos. Gosta de morar à beira de rios e lagos, onde faz tocas. A cor geral, nas partes superiores, é marrom-pardacenta e, inferiormente, mais clara. Quando molhada, a cor é mais escura. Cauda musculosa é achatada dorso-ventralmente do meio até a ponta e auxilia o deslocamento dentro d`água. Os pés são grandes e apresentam membrana interdigital.

Ariranha | Pteronura brasiliensis
Ariranha | Pteronura brasiliensis


Os locais que apresentam melhores condições para sua sobrevivência são os parques florestais e reservas biológicas. Não há dados precisos sobre a reprodução da lontra,  mas sabe-se que sua gestação dura cerca de 60 dias e o número de filhotes varia entre um e cinco. A fêmea cuida da ninhada durante um extenso período, elevando presas semi-abatidas para os filhotes. Ao completar um ano, os filhotes começam a se dispersar.

Extinção: Ameaçada/Vulnerável Redução da população de, pelo menos, 20 por cento projetada ou suspeita para os próximos 10 anos ou 3 gerações baseado em declínio da área de ocupação, extensão de ocorrência e/ou qualidade do habitat. Os agrotóxicos e produtos químicos que são despejados nos rios pelas lavouras, indústrias e cidades são responsáveis pela sua quase extinção. 

Baleia Orca | Orcinus orca

Baleia Orca | Orcinus orca 

Família - Delphinidae.

Distribuição - As Baleias Orca (Orcinus orca) podem ser encontradas em todos os oceanos desde as regiões polares até as tropicais e podem ser vistas tanto em áreas costeiras quanto em oceânicas, sendo um dos cetáceos que apresenta mais ampla distribuição geográfica. No entanto, as orcas são observadas com uma maior frequência em águas frias e costeiras de ambos os hemisférios. No litoral brasileiro, até o momento, existem registros de sua ocorrência no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, e de São Paulo até a Paraíba.

Peso, medidas e características - os machos são facilmente identificados por serem maiores e mais robustos que as fêmeas. Os machos, cujo comprimento varia entre 5,2 e 9,8 m ; podem pesar mais de 8 toneladas. Já as fêmeas medem entre 4,5 e 8,5 m e pesam 4 toneladas. Nos machos adultos, a nadadeira dorsal tem a forma triangular e pode atingir até 1,8 m de altura. Nas fêmeas e nos indivíduos juvenis, a nadadeira dorsal não ultrapassa 1 m e apresenta a forma mais falcada. A orca possui de 20 a 24 pares de grandes e poderosos dentes. Sua coloração é basicamente branca e preta. Existe um padrão característico de manchas brancas acima e atrás dos olhos e ao longo da barriga. Atrás da nadadeira dorsal há uma mancha irregular cinza-clara denominada de "sela".
Baleia Orca | Orcinus orca

Como nascem e quanto vivem - atingem a maturidade sexual quando os machos medem entre 5,2 e 6,2 m e as fêmeas entre 4,6 e 5,4 m. As fêmeas dão à luz apenas a um filhote, após uma gestação de aproximadamente 15 meses. O período de amamentação dura pelo menos 12 meses. A mamãe orca é muito carinhosa e atenciosa com o seu filhote e nunca se afasta de sua cria pelo menos nos 2 primeiros anos de vida. Os filhotes nascem com aproximadamente 2,2 m e pesam cerca de 180 Kg. O intervalo entre as crias pode variar de 3 a 12 anos. O tempo de vida das orcas é estimado em 25 anos mas elas podem chegar até a idades superiores a 40 anos.


Baleia Orca | Orcinus orca
Comportamento e hábitos - pode ser encontrada sozinha, mas em geral forma pequenos grupos familiares de 5 a 20 animais. Ocasionalmente, são registrados grandes agrupamentos de até 100 animais. Estes são temporários e podem estar relacionados a uma fartura de alimento e a atividades sociais. Apresentam laços sociais fortes e a estrutura dos grupos, denominada de unidade social, é bastante estável. Em algumas regiões do mundo, observou-se que um animal pode permanecer dentro da mesma unidade social por toda a vida pois mesmo depois de adultos, os filhotes costumam permanecer ao lado das mães, embora não sejam mais dependentes delas. Os grupos de orcas são constituídos por animais de ambos os sexos e todas as classes de idade, com predominância de fêmeas adultas, que lideram os demais , vivendo numa sociedade matriarcal. Em alguns locais do mundo foram identificados 2 tipos de unidades sociais de orcas: as residentes e as transeuntes. As residentes vivem sempre na mesma região, geralmente em áreas costeiras e protegidas onde há fartura de alimento, em grupos de no mínimo 5 animais. Já as transeuntes vagueiam pelos oceanos em pequenos grupos de até 5 animais. As orcas residentes jamais se associam com as unidades transeuntes e vice-versa. É curiosa e pode se aproximar de embarcações. Apesar de seu peso é muito ativa: salta, bate com as nadadeiras na superfície da água e coloca a cabeça para fora da água para "espiar" o que se passa ao seu redor. Também, descansam boiadas na superfície onde podem permanecer imóveis durante várias horas. O tempo de mergulho pode variar de 1 a 10 minutos. As vocalizações incluem estalos e assobios. Cada grupo tem uma feição única em seu repertório vocal o qual ajuda a identificá-lo acusticamente ou seja, cada grupo de orca usa um dialeto sonoro diferente e os grupos podem se identificar através do som. O repertório de cada grupo não exibe maiores mudanças por um período que pode durar pelo menos até 15 anos. Existem indícios de que grupos com repertórios e dialetos similares compreendem comunidades que não se interagem socialmente com as outras. O repertório vocal revela como as unidades sociais se relacionam e o parentesco que se remonta a centenas de anos. As orcas parecem manter um sistema de hierarquia social. Gostam de "brincar" girando sobre si mesmas, e perseguindo umas as outras. Mediante estas atividades, os integrantes do grupo estreitam seus laços e fortalecem suas interelações.

Baleia Orca | Orcinus orca
Alimentação - costumam caçar e alimentar-se de maneira cooperativa, formando verdadeiros "times" bem organizados onde cada animal desempenha uma função específica durante a caça. Em diferentes partes do mundo, pesquisadores já registraram uma grande variação de técnicas altamente especializadas que as orcas utilizam para capturar suas presas. Possuem uma dieta variada e oportunista que varia de região para região e entre os sexos e classes de idade. De forma geral, a dieta pode ser composta de várias espécies de peixes (incluindo os tubarões e as raias), lulas, cetáceos, focas, lobos, leões e elefantes-marinhos, pinguins, aves marinhas e até mesmo tartarugas. Por ter um apetite voraz e se alimentar de animais de sangue quente, recebeu injustamente o apelido de baleia-assassina, o que não corresponde a verdade. Acredita-se que uma orca precise ingerir o equivalente a 4 % de seu peso diariamente, o que corresponde cerca de 250 Kg num macho adulto. As técnicas de captura das presas se transmitem de geração para geração mediante a instrução dos exemplares adultos.

Cativeiro - é um dos cetáceos mais bem adaptados ao cativeiro sendo exibidos em oceanários de vários locais do mundo. Na década de 70 iniciou-se o crescente e lucrativo comércio de orcas que eram capturadas na costa noroeste dos Estados Unidos e Canadá. Atualmente, em vários países existem legislações que impedem ou limitam o comércio de orcas para exibição. Embora a Islândia ainda capture orcas para exibição, normalmente os indivíduos mantidos em cativeiro proveem de filhotes ali nascidos e da troca de animais entre os aquários. Na natureza não é recomendável tentar uma aproximação com a mesma intimidade que acontece no cativeiro onde os comportamentos exibidos em shows são aprendidos em troca de uma farta quantidade de comida.

Inimigos Naturais - não possui na natureza inimigos pelo fato de ser juntamente com o tubarão-branco os maiores predadores dos oceanos.

Ameaças - em várias partes do mundo as orcas tem sido caçadas pela sua carne e gordura ou mortas como potenciais competidoras pelos pescadores. No Japão, a carne das orcas é utilizada para o consumo e suas vísceras são usadas para fazer fertilizantes e iscas para a pesca. Na Noruega, sua carne é usada para fazer ração para animais domésticos. Várias orcas foram mortas durante sua captura e transporte para exibição em aquários devido a uma série de procedimentos inadequados. As orcas sofrem com a destruição de seu habitat e com a ameaça de captura acidental em redes de pesca. Outro tipo de ameaça é a interação com pescarias oceânicas. Nesta interação as orcas aprenderam a "roubar" os peixes capturados no espinhel. No Brasil, este comportamento tem sido observado no Rio Grande do Sul e no Espírito Santo durante a captura de atuns e espadartes. Os pescadores prejudicados costumam afugentar os animais muitas vezes de forma agressiva. Já foram encontrados nos tecidos das orcas altos níveis de PCBs e DDT, provenientes de efeitos da poluição ambiental.

Status - encontra-se citada na categoria Dados Deficientes (IUCN, 1996).