Parque Nacional da Lagoa do Peixe | Rio Grande do Sul

Parque Nacional da Lagoa do Peixe | Rio Grande do Sul

Parque Nacional da Lagoa do Peixe | Rio Grande do Sul

Bioma: Marinho Costeiro
Área: 36.721,71 hectares

O Parque Nacional (Parna) da Lagoa do Peixe foi criado em 1986 com o objetivo de proteger as espécies de aves migratórias e as amostras dos ecossistemas litorâneos do Rio Grande do Sul, que deles dependem para seu ciclo vital. Em 1991, foi incluído na Rede Hemisférica de Reservas para Aves Limícolas como Sitio Internacional. Em 1993, foi reconhecido como Sítio Ramsar por sua importância para a conservação de zonas úmidas. Em 1999, foi considerado Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.

O parque está localizado em uma extensa planície costeira arenosa, situada entre a Lagoa dos Patos e o Oceano Atlântico. Sua paisagem é composta por mata de restinga, banhados, campos de dunas, lagoas de água doce e salobra, além de praias e uma área marinha.

Apesar da denominação, Lagoa do Peixe é, na verdade, uma laguna, por causa da comunicação com o mar. É relativamente rasa, com 60 centímetros de profundidade em média. Possui 35 quilômetros de comprimento e 2 quilômetros de largura, e é formada por sucessão de pequenas lagoas interligadas, caracterizando, assim, um reservatório natural de água salobra.

A área é um berçário para o desenvolvimento de espécies marinhas, entre eles encontram-se camarão-rosa, tainha e linguado, além disso, atrai variadas espécies de aves que encontram na lagoa e em suas marismas farta alimentação.

No extremo sul do Brasil, a costa do Rio Grande do Sul apresenta uma planície costeira arenosa, formada nos últimos avanços e recuos do nível do mar, relacionados às glaciações cíclicas. Separando a Lagoa dos Patos do Oceano Atlântico, um trecho de restinga bem preservado compõe-se de banhados, matas nativas, campos de dunas, lagoas e praias oceânicas e lagunares. Essa diversidade de habitats, a abundância alimentar e a calma local permitem a coexistência harmoniosa de muitas espécies, caracterizando a região como um refúgio de aves.

A Lagoa do Peixe tem comunicação com o mar, e suas águas rasas atraem 26 espécies migratórias do Hemisfério Norte e 5 espécies vindas do Sul, como o Flamingo. Além de contar com 182 espécies de aves, cada ambiente abriga plantas e animais característicos perfeitamente adaptados às condições do meio.

Parque Nacional da Lagoa do PeixeParque Nacional da Lagoa do PeixeParque Nacional da Lagoa do PeixeParque Nacional da Lagoa do Peixe
Parque Nacional da Lagoa do PeixeBiguás
Parque Nacional da Lagoa do Peixe
Mapa do Parque

O Parque Nacional da Lagoa do Peixe foi criado em 6 de novembro de 1986, com o objetivo de preservar amostras representativas desses ecossistemas costeiros, permitindo a continuidade do ciclo de vida das aves migratórias.

Abrangendo porções dos municípios de Mostardas, tavares e São José do Norte, sua área totaliza 34.400 hectares, com cerca de 62 km de extensão e 6 km de largura, em média.

Sua importância internacional foi reconhecida através da inclusão na Rede Hemisférica de Reservas para Aves Limnícolas, na reserva da Biosfera (Unesco) e Convenção de Ramsar.

Um dos principais motivos para a criação do Parque Nacional foi sua importância vital para as espécies de aves migratórias que utilizam a área em seus ciclos anuais. Entre estas, 26 espécies fazem ninho no Hemisfério Norte e algumas, como maçarico-de-peito-vermelho, fazem gigantescas migrações.

Fonte: http://www.paginadogaucho.com.br/ e Ibama

www.megatimes.com.br
www.geografiatotal.com.br