Parque Nacional Cavernas do Peruaçu | Minas Gerais


Parque Nacional Cavernas do Peruaçu | Minas Gerais

Parque Nacional Cavernas do Peruaçu | Minas Gerais
Parque Nacional Cavernas do Peruaçu
Parque Nacional Cavernas do Peruaçu
Parque Nacional Cavernas do Peruaçu
Parque Nacional Cavernas do Peruaçu

O Parque Nacional Cavernas do Peruaçu além de ser um local onde a natureza predomina, com várias espécies de árvores, plantas, terrenos e animais também encontramos neste Parque Nacional um caráter histórico, com registros de vida humana na região a mais de 11.000 anos, com esqueletos encontrados por pesquisadores, sendo o IBAMA. Se sua intenção é visitar um local com um caráter histórico, além é claro de uma natureza bem ampla, o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu. O Vale do Peruaçu, local que abriga mais de 140 cavernas, algumas das mais bem preservadas veredas do estado e uma tribo indígena, que já foi considerada como extinta. Para completar toda esta riqueza natural, há ainda mais de 80 sítios arqueológicos catalogados - um lugar pouco conhecido e até mesmo divulgado.

Parque Nacional Cavernas do PeruaçuParque Nacional Cavernas do PeruaçuParque Nacional Cavernas do PeruaçuParque Nacional Cavernas do PeruaçuParque Nacional Cavernas do Peruaçu

Este cenário se desenvolve ao longo dos 92 quilômetros do Rio Peruaçu, afluente do grandioso São Francisco que, juntos e durante milhões de anos, erodiram os extensos terrenos calcários da Província Geológica Bambuí, no Norte de Minas Gerais.

Para proteger este patrimônio geológico, arqueológico, espeleológico e recursos hídricos, além de amostras representativas da fauna e flora, da transição entre os ecossistemas de Cerrado e Caatinga, foi criado o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu, com 56.800 hectares, localizado nos municípios de Januária, Itacarambi e São João das Missões.

Parque Nacional Cavernas do PeruaçuHistória - A ocupação humana do Vale do Peruaçu se confunde com a do Vale do Rio São Francisco. Há cerca de 11.000 anos, as populações pré-históricas iniciaram suas habitações na região em busca da caça e da pesca e, naquela época, deixaram suas marcas através das inscrições rupestres nas paredes das grutas e cavernas. Estas inscrições representam estilos distintos, influenciados por diferentes culturas.

Mais tarde vieram os cultivadores de fumo, mandioca, milho e feijão. São os Índios Xakriabás que ainda hoje habitam a região e contam com um território vizinho ao Parque. Posteriormente, com a invasão dos bandeirantes, que procuravam as riquezas escondidas no subsolo, o local passou a ter novos habitantes que hoje vivem da agricultura de subsistência, criação de gado e do artesanato.

Na década de 70, pesquisadores de todo o mundo, atraídos pela grande quantidade de cavernas, sítios arqueológicos, formações rochosas em calcário e a rica biodiversidade, iniciaram os primeiros estudos científicos na região e, através das descobertas, começaram a pressionar o governo para criar uma Unidade de Conservação no local.

Em 1989 o Governo Federal criou a Área de Proteção Ambiental Cavernas do Peruaçu. Cinco anos mais tarde, o governo de Minas Gerais transformou parte da APA no Parque Estadual Veredas do Peruaçu. Em 1999, novamente sob pressão para criar mais UC’s na área, o governo criou este Parque Nacional.

Paisagem - As cavernas e os sítios arqueológicos compõem os principais atrativos do Parque e o Rio Peruaçu um verdadeiro escultor da natureza, entalhando na rocha calcária verdadeiros monumentos, de magnitudes indescritíveis.

O grande exemplo é a Gruta do Janelão. Quem a percorre, sente uma experiência impar pelas formações que integram água, caverna, vegetação e vistas para o céu azul, através das claraboias. Outra caverna de beleza singular é a Gruta Bonita. Seus salões, ornamentados por uma variedade de espeleotemas encantam qualquer visitante. Só quem esteve lá pode compreender e sentir quanto o homem torna-se insignificante diante de tamanha beleza.

Percorrendo as trilhas características do Parque, através das quais encontramo-se inscrições rupestres, podemos entender um pouco da cultura dos nossos ancestrais. Parado à frente de uma parede, observando atentamente os desenhos, é possível imaginar aqueles antigos habitantes, pintando aquele local, praticamente na mesma posição e, mesmo que de modo inconsciente, deixando um legado para a posteridade. Um verdadeiro patrimônio da humanidade que precisa ser preservado para estudo e conhecimento das gerações futuras.

www.megatimes.com.br
www.geografiatotal.com.br
www.klimanaturali.org