ÁREA DE RELEVANTE INTERESSE ECOLÓGICO MANGUEZAIS DA FOZ DO RIO MAMANGUAPE -PB

Rio Mamanguape
Superfície
5.772 hectares.

Bioma
Ecossistemas Costeiros

Acesso
O acesso é feito através da BR-101 e depois por estrada vicinal até a Barra do Mamanguape.

O Baixo curso do rio Mamanguape compreende duas regiões distintas: os tabuleiros costeiros e a área de influência das marés, onde predominam os manguezais.

Coqueiral de Barra do Mananguape
Os Tabuleiros Costeiros
No baixo planalto costeiro, também denominado Tabuleiro, situado em torno dos 100 metros de altitude, estão os grotões, pequenos vales encaixados, cujos riachos alimentam a bacia do Mamanguape e suprem a população de água. Nos tabuleiros, a vegetação é de cactáceas e de cerrados, ricos em mangabeiras, cajueiros e outras espécies de cerrado.

Atualmente os tabuleiros costeiros estão ocupados pela cana-de-açúcar e, até a Fazenda Santíssima, onde termina o plantio da cana, a produção é voltada para atender à Usina Monte Alegre, situada na várzea do rio, em Mamanguape. O problema ambiental do tabuleiro é o cultivo da cana-de-açúcar que atinge as margens do rio, não sendo poupadas do desmatamento sequer as mata ciliares.

Na área do tabuleiro, nas imediações de Mamanguape existe a Reserva Florestal dos Guaribas, gerenciada pelo IBAMA. Tem por objetivo a proteção de amostras representativas da Mata Atlântica do Nordeste, sendo sua utilização para fins científicos e de pesquisa.

O Baixo Vale
Geograficamente, o estuário do rio Mamanguape é um tipo de costa submersa, pois o mar avança pela foz . O rio em sua foz está num vale tão baixo que submerge à entrada da maré. A isto chama-se ria. Na área dos manguezais, a várzea do rio é muito grande, de 800 a 1000 metros, tendo o leito uma largura superior a 50 metros.

Na várzea estão as cidades de Mamanguape e Rio Tinto, esta última sendo o limite da área de influência das marés. No baixo curso está o solo de massapê, apropriado ao cultivo da cana-de-açúcar. A vegetação primitiva na região, onde o mangue não atingia, era a mata atlântica que avançava até os cerrados do tabuleiro.

O Baixo-Vale do rio Mamanguape, que compreende a zona de influência das marés oceânicas, situa-se numa Área de Proteção Ambiental da Barra do Rio Mamanguape, gerida pelo IBAMA, cujo território se estende de Camurupim até o rio Miriri, ao sul, e até a Mata do Maracujá, a oeste.

Manguezais