Uirapuru, Principais Espécies de Uirapurus do Brasil

Uirapuru, Principais Espécies de Uirapurus do Brasil

Uirapuru Verdadeiro Uirapuru Verdadeiro (Cyphorhinus aradus)

Família: Troglodytidae
Espécie: Cyphorhinus aradus
Comprimento: 12,5 cm.
Presente em quase toda a Amazônia brasileira, com exceção do alto Rio Negro e da região a leste do Rio Tapajós. Encontrado também em todos os demais países amazônicos - Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia. É localmente comum no estrato inferior de florestas úmidas, principalmente na terra firme, mas também em florestas de várzea. Vive aos pares ou em pequenos grupos. Desloca-se pulando pelo chão, junto a emaranhados de vegetação, capturando insetos também em folhas. Eventualmente segue formigas-de-correição e, às vezes, junta-se a outras espécies de uirapurus em sua busca aos insetos. É muito famoso pelo seu canto melodioso e agradável, considerado um dos mais belos da floresta. Porém, não é verdade a crendice de que o uirapuru-verdadeiro cantaria apenas uma vez ao ano, ou mesmo que os outros pássaros silenciariam ao ouvir seu canto. Põe 2 ovos brancos. Conhecido também como corneta, músico e músico-da-mata.

Uirapuru Verdadeiro
Características: plumagem pardo-avermelhada e bem simples. Bico forte, pés grandes e, às vezes, nos lados da cabeça, um desenho branco. Mede 12,5 cm de comprimento.

Habitat: estrato inferior de florestas úmidas, principalmente na terra firme, mas também em florestas de várzea.

Ocorrência: quase toda a Amazônia brasileira, com exceção do alto Rio Negro e da região a leste do Rio Tapajós. Encontrado também em todos os demais países amazônicos - Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia.

Hábitos: irrequieto, locomove-se rapidamente em meio à folhagem ou mesmo no solo. Pode aparecer em casais ou junto com pássaros de outras espécies. Há uma lenda que diz que o uirapuru atrai bandos de aves com seu belo canto. A verdade é que ele apenas integra bandos em busca de comida. Com um canto longo e melodioso, sua "intenção" é outra: a atração para acasalamento. Esses cantos duram de dez a quinze minutos ao amanhecer e ao anoitecer, na época de construção do ninho. Durante o ano todo, o uirapuru canta apenas cerca de quinze dias. O canto do uirapuru ecoa na mata virgem. O som, puro e delicado como o de uma flauta, parece ter saído de uma entidade divina. Os caboclos mateiros dizem com grande convicção que, quando canta o uirapuru, a floresta silencia. Como se todos os cantores parassem para reverenciar o mestre.

Alimentação: frutas, mas, principalmente insetos. Após uma época de seca e logo que começa a chover, as formigas taocas saem de seus formigueiros e atacam todos os pequenos seres que encontram. Isso gera uma movimentação desesperada de vários seres na floresta, chamando a atenção de vários pássaros, inclusive o uirapuru. É um banquete para todos os pássaros que comem formigas. Enquanto os outros comem, o uirapuru canta. O seu canto, curto e forte, demonstra que ele está dominando o território.

Uirapuru-LaranjaUirapuru-Laranja (Pipra fasciicauda)

Família: Pipridae
Espécie: Pipra fasciicauda
Comprimento: 10 cm.
Presente nos afluentes da margem sul do Rio Amazonas, desde as bacias dos rios Purus e Juruá até o Maranhão, estendendo-se em direção sul até o Paraná. Há ainda populações aparentemente isoladas no Ceará e Alagoas. Encontrado também no Peru, Bolívia, Paraguai e Argentina. É comum em florestas de várzea periodicamente inundadas, florestas de galeria e florestas adjacentes. Os machos exibem-se para as fêmeas durante o período reprodutivo, através da repetição de uma série de movimentos característicos. Alimenta-se principalmente de pequenos frutos. O macho apresenta o alto da cabeça, nuca e alto das costas vermelho-brilhantes, com tons de amarelo, o restante das partes superiores preto e as partes inferiores amarelo-avermelhadas; a fêmea é verde-olivácea acima, mais opaca nas partes inferiores, com a barriga amarelada. Conhecido também como dançador-laranja, uirapuru-de-cauda-curta, irapuru-de-cauda-curta e tangará-de-cabeça-amarela.

Uirapuru-Vermelho Uirapuru-Vermelho (Pipra aureola)

Família: Pipridae
Espécie: Pipra aureola
Comprimento: 10 cm.
Presente em ambas as margens dos baixos rios Amazonas e Madeira, na região entre os rios Tocantins e Xingu, no leste do Pará e litoral do Amapá. Encontrado também nas Guianas e Venezuela. Varia de incomum a localmente comum no estrato inferior de florestas periodicamente inundadas e várzeas, e em emaranhados de vegetação ao longo de cursos d'água. O macho apresenta a barriga preta e a cabeça, o alto das costas e o peito vermelho-brilhantes; a fêmea é verde-olivácea acima e mais opaca nas partes inferiores, com a barriga amarelada. Conhecido também como dançador-vermelho, uiramirim, irapuru e guira-pururu (nome indígena).

Uirapuru-EstrelaUirapuru-Estrela (Pipra serena)

Família: Pipridae
Espécie: Pipra serena
Comprimento: 8,7 cm.
Presente no Brasil apenas ao norte do Rio Amazonas, do Amapá à região ao norte de Manaus. Encontrado também nas Guianas. É localmente comum no estrato inferior de florestas de terra firme em terrenos acidentados. Visita as bordas de florestas apenas para alimentar-se de frutos. O comportamento da espécie assemelha-se ao dos demais membros da família Pipridae. O macho é preto, com a região anterior da cabeça branco-brilhante, baixa região das costas azul, peito laranja-amarelado e barriga amarela; a fêmea é verde-brilhante em cima, com a cabeça lavada de azul, garganta e peito verde-oliváceos e barriga amarelada. Conhecido também como dançador-estrela.

Uirapuru-de-Chapéu-Azul Uirapuru-de-Chapéu-Azul (Pipra coronata)

Família:Pipridae
Espécie: Pipra coronata
Comprimento: 9 cm.
Presente na região oeste da Amazônia, estendendo-se para leste até os rios Negro (ao norte do Rio Amazonas) e Madeira (ao sul). Encontrado também na Costa Rica, Panamá, Colômbia, Venezuela, Equador, Peru e Bolívia. Varia de incomum a localmente comum no estrato baixo de florestas densas e capoeiras maduras. Tem o hábito de realizar vôos curtos em vaivéns. Permanece oculto no interior da floresta, sendo sua presença mais facilmente detectada pela vocalização. O macho apresenta duas plumagens bem distintas, variando conforme a região: 1) negra com boné azul, na Costa Rica, Venezuela e Brasil, do Rio Negro até o Rio Juruá; 2) verde com boné azul, no Brasil, dos rios Madeira e Purus até o leste do Peru e Bolívia. Nos demais lugares ocorrem populações com plumagens intermediárias. A fêmea é verde nas partes superiores, com a garganta amarela-esverdeada e a barriga amarela. Conhecido também como dançador-de-coroa-azul.

Uirapuru-de-Asa-BrancaUirapuru-de-Asa-Branca (Microcerculus bambla)

Família: Troglodytidae
Espécie: Microcerculus bambla
Comprimento: 11 cm.
Presente na Amazônia brasileira ao norte do Rio Amazonas, do Rio Negro para leste até o Amapá. Encontrado também nas Guianas, Venezuela, Equador e Peru. Varia de raro a localmente comum no sub-bosque de florestas úmidas. Seu comportamento é semelhante ao do uirapuru-veado, sendo igualmente muito mais ouvido do que observado. Conhecido também como flautista-de-asa-branca.

Uirapuru-Veado Uirapuru-Veado (Microcerculus marginatus)

Família: Troglodytidae
Espécie: Microcerculus marginatus
Comprimento: 11 cm.
Presente em grande parte da Amazônia brasileira, com exceção da região ao norte do Rio Amazonas localizada a leste do Rio Negro. Encontrado também do México ao Panamá e na Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia. É comum no sub-bosque de florestas úmidas, com preferência por locais com densos emaranhados de vegetação à margem de igarapés. Vive solitário e não participa de bandos mistos. Anda e corre no solo a passos largos, balançando o corpo ligeiramente. Ouvido com freqüência muito maior do que observado. Conhecido também como flautista-da-mata.

Uirapuru-de-Peito-BrancoUirapuru-de-Peito-Branco (Henicorhina leucosticta)

Família: Troglodytidae
Espécie: Henicorhina leucosticta
Comprimento: 11 cm.
Presente nos estados do Amapá e Roraima. Encontrado também do México ao Panamá e na Colômbia, Equador, Peru, Venezuela e Guianas. É comum no sub-bosque de florestas úmidas, bordas de florestas e capoeiras altas. Prefere emaranhados de cipós ao redor de árvores caídas, sendo mais numeroso em áreas montanhosas. Vive aos pares e desce freqüentemente ao solo para pegar insetos. É muito mais ouvido do que observado. Faz ninho semelhante ao do garrinchão-pai-avô e constrói ninhos também para dormir. Põe 2 ovos brancos. Conhecido também como corruíra-da-mata.

Uirapuruzinho Uirapuruzinho (Tyranneutes stolzmanni)

Família: Pipridae
Espécie: Tyranneutes stolzmanni
Comprimento: 8 cm.
Presente na Amazônia brasileira em toda a região ao sul do Rio Amazonas, e ao norte deste, dos rios Negro e Branco para oeste. Encontrado também na Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia. É comum nos estratos baixo e médio no interior de florestas úmidas de terra firme e de várzea, e em florestas de solo arenoso. Passa facilmente desapercebido. Conhecido também como supi.
Uirapuruzinho-do-Norte

Uirapuruzinho-do-Norte (Tyranneutes virescens)

Família: Pipridae
Espécie: Tyranneutes virescens
Comprimento: 7 cm
Peso: 7 g.
É o menor representante da família. Presente na Amazônia brasileira apenas ao norte do Rio Amazonas, do Amapá para oeste até o Rio Negro. Encontrado também nas Guianas e Venezuela. Varia de incomum a localmente comum nos estratos médio e baixo do interior de florestas úmidas. É muito difícil de ser visto. O macho apresenta uma estria amarela no alto da cabeça, a qual é muito reduzida ou está ausente na fêmea. Conhecido também como didisupi.