Reprodução dos Répteis

Reprodução dos Répteis

Reprodução dos Répteis

Os répteis só tiveram condições de tomar posse da terra firme a partir do momento em que “inventaram” o ovo de casca dura (de calcário). Originalmente, os ovos dos répteis tinham a mesma aparência que os anfíbios de hoje: eram encerrados numa casca mole, cheia de líquido, muito funcional na água, mas sem utilidade alguma em terra firme onde se ressecaria rapidamente. Os ovos tem uma casca porosa e permite as trocas gasosas com o ambiente.

Reprodução dos Répteis

O nascimento das tartarugas marinhas
O nascimento das tartarugas marinhas é um verdadeiro parto: os filhotes precisam romper a casca do ovo, depois, superar a camada de areia que os recobre, e finalmente chegar à superfície. Como eles nascem á noite, devem chegar à água orientando-se por seus extintos. Depois disso enfrenta vários predadores.

Fecundação interna
A fecundação dos répteis é interna. Os lagartos e serpentes possuem um pênis duplo - o órgão copular se forma por uma estrutura bifurcada chamada hemipênis. Crocodilos e tartarugas possuem uma estrutura única. Boa parte dos répteis é ovípara, isto é, deposita os ovos para o desenvolvimento fora do corpo. Porém, existem espécies vivíparas, nas quais as fêmeas dão a luz filhotes muito parecidos com os adultos. O período de incubação varia de algumas semanas a alguns meses. A quantidade de ovos produzidos também é bastante diversa. Uma tartaruga marinha produz cerca de 60 ovos por ano. Algumas pítons chegam a botar 200 ovos no mesmo período, enquanto a lagartixa doméstica bota, ao menos, 2 ovos por ano.

A maioria dos répteis não cuida dos filhotes, o fato é, em parte, compensado com postura de muitos ovos. Algumas espécies de cobras e lagartos, no entanto, cuidam de seus filhotes nos primeiros estágios de vida, e crocodilianos constroem ninhos e cuidam dos filhotes.

O calor é fundamental para definir o sexo das tartarugas
Entre os répteis, é o calor com o qual os ovos são envolvidos que determinará o sexo dos recém-nascidos. Se a temperatura média do sol durante a incubação for mais baixa, ou seja, mais fria, saíram sua maior parte machos, e se for uma temperatura alta, ou seja, mais quente, saíra mais fêmeas.

www.megatimes.com.br

Luciano Mende