Lago Natron, Tanzânia, Transforma Animais em Estátua

Lago Natron, Tanzânia, Transforma Animais em Estátua 

No norte da Tanzânia, o Lago Natron, que é um lago salgado alcalino situado, próximo ao Quênia, no Grande Vale do Rift. Trata-se de um lago alcalino, de origem tectônica e com menos de três metros de profundidade.

As suas águas apresentam um pH elevado, entre 9 e 10.5, e apresentam uma cor característica de lagos com elevadas taxas de evaporação. À medida que a água evapora durante a estação seca, os níveis de salinidade aumentam até ao ponto em que os microrganismos adaptados a ambientes salinos (ou halófilos) começam a desenvolver-se. Entre estes contam-se algumas cianobactérias, cujo pigmento vermelho dá origem aos tons profundos de vermelho apresentados pelas águas mais profundas do lago e pelos alaranjados nas zonas menos profundas.

O lago Natron é também o único local de reprodução dos flamingos-pequenos (Phoenicopterus minor) que vivem nesta região e que se alimentam das cianobactérias do lago. Quanto mais elevada for a salinidade, maior é a quantidade de cianobactérias que se desenvolvem no lago e, por conseguinte, maior é o número de ninhos de flamingos-pequenos que o lago pode suportar. Além do flamingo-pequeno habitam este lago tilápias (Oreochromis alcalica), que ocupam as zonas adjacentes às nascentes de água quente que brotam nalgumas partes lago.

Lago Natron, Tanzânia, Transforma Animais em Estátua
Lago Natron, Tanzânia
Lago Natron, Tanzânia
Lago Natron, Tanzânia
Lago Natron, Tanzânia
Lago Natron, Tanzânia

Devido à sua biodiversidade única, a Tanzânia incluiu a bacia do lago Natron na Lista das Terras Húmidas de Importância Internacional em 4 de Julho de 2001.

Em 2013, foram fotografadas várias imagens realizadas pelo fotógrafo inglês Nick Brandt para ilustrar seu livro Across the Ravaged Land (Por toda a terra devastada), onde retrata várias imagens de animais mortos petrificados, a maioria de animais alados, onde os fatos são ocasionados por eventuais acidentes dos mesmos que confundem a reflexão do espelho d'água do lago com o céu e caem nas águas salino-alcalinas do mesmo, em áreas de maior concentração, causando a morte por desidratação aguda e consequente petrificação, em alguns casos, quase que instantânea dos corpos.

Ninguém sabe ao certo como os animais se tornaram estátuas, mas ao que parece, de alguma forma ficaram submersos por algum tempo na água e quando voltaram para a superfície já estavam cobertos de natrão e foi questão de tempo até que se petrificassem.

www.megatimes.com.br