Recursos Energéticos e Energias Alternativas

Recursos Energéticos e Energias Alternativas

Recursos Energéticos e Energias AlternativasOs recursos energéticos são as formas básicas para a obtenção de energia, dentre estas podem ser classificadas em energia renovável e energia não renovável. A energia renovável é aquela que pode ser reposta na natureza, já a energia não renovável não repõe-se pelo ambiente. 

Dentro destas formas de obtenção de energia o Desenvolvimento sustentável estabelece que tudo o que for consumido tende a ser reposto, propondo assim um processo integral que comporta as dimensões culturais, éticas, políticas tal como as sociais, não abrangendo apenas as dimensões econômicas. Assim este defende os recursos energéticos renováveis, onde há a resolução simultânea dos problemas gerados pelo desequilíbrio ecológico que afeta a fauna e a flora de uma forma negativa. Tendo como base estes problemas, organizações ligadas a preservação do meio ambiente criaram um documento que ficou conhecido por Agenda 21, que propõe algumas soluções para os problemas ecológicos de um certo país, ou cidade, visando as condições culturais, sociais, políticas e econômicas.

Energia alternativa

Fontes de obtenção de energia que sejam mais limpas (menos impactantes ao meio ambiente) e renováveis têm sido pesquisadas e desenvolvidas com alguma intensidade nas últimas décadas. (2) Energia obtida de fontes diferentes das usadas nas grandes usinas comerciais, que atualmente são as usinas térmicas convencionais, as hidroelétricas e as nucleares. Ela vem de usinas geralmente pequenas, geram pouca poluição, e normalmente utilizam fontes renováveis. Os principais tipos atuais são a energia solar, eólica, das marés, geotérmica, das ondas e da biomassa. É o oposto de montente.

Energia de biomassa

Energia obtida a partir de matéria animal e vegetal. Quando se classifica a energia de biomassa como energia alternativa, refere-se à biomassa renovável. Como exemplos, temos o álcool combustível, obtido e produzido dos resíduos orgânicos e do lixo proveniente das atividades humanas, através do biodigestor.

Energia de maré

Em regiões costeiras de profundidades inferiores a 100m, grande parte da energia de maré é dissipada por atrito, e desta maneira a energia de maré é máxima em mar aberto. Esta energia pode ser utilizada na produção de energia elétrica através das usinas elétricas de maré.
Energia de onda

Energia de onda

Energia expressa pela capacidade de trabalho da onda. A energia de um sistema de ondas é teoricamente proporcional ao quadrado da altura da onda, que é um parâmetro de obtenção relativamente fácil. Deste modo, uma costa de alta energia de onda caracteriza-se por alturas de arrebentação superiores a 50 cm e uma costa de baixa energia apresenta alturas inferiores a 10 cm. A maior parte da energia de onda de uma região costeira é consumida no atrito com o fundo e na movimentação da areia.

Energia eólica

É a energia obtida pelo movimento do ar/vento. É uma abundante fonte de energia renovável, limpa e disponível em todos os lugares. (2) Tipo de energia que apresenta grandes vantagens, pois não necessita ser implantada em áreas de produção de alimentos, não contribui para o efeito estufa e pode ser aplicada para geração de energia elétrica. O seu funcionamento é simples: pás das hélices gigantes captam o vento acionando uma turbina ligada a um gerador elétrico. Para se usar esse tipo de energia são necessários grandes investimentos para a sua transmissão. Os moinhos podem causar poluição sonora e interferir em transmissões de rádio e televisão.

Energia hidráulica

Energia hídrica. Energia potencial e cinética das águas. (2) Energia proveniente do movimento das águas. É produzido por meio do aproveitamento do potencial hidráulico existente num rio, utilizando desníveis naturais, como quedas d´água ou artficiais produzido pelo desvio do curso original do rio.

Energia hidrelétrica

É Energia limpa porque não emite poluentes e não influi no efeito estufa. É produzida por uma turbina movida pela energia liberada de uma grande queda d`água que aciona um gerador produtor de energia elétrica. Apresenta dois grandes inconvenientes: o impacto ambiental provocado pelas barragens, que inundam grandes áreas deslocando populações, e o tempo e os recursos que são necessários para sua construção.