Frango-d'Água Comum (Gallinula chloropus)

Frango-d'Água Comum (Gallinula chloropus)

Frango-d'Água Comum (Gallinula chloropus)FamíliaRallidae
EspécieGallinula chloropus
Comprimento: 35 cm.

Características: muito comum locomovendo-se sobre a vegetação aquática ou nadando com o bico meio abaixado. Atinge até 37 cm de comprimento. Possui bico e pés bem coloridos, além de um escudo vermelho na fronte, sobre o bico. Plumagem marrom-escura O macho é geralmente maior que a fêmea.

Habitat: lagoas e brejos.

Ocorrência: continente americano.

Hábitos: hábil nadador. Seu canto pode ser ouvido ao cair da tarde. Vive sozinho ou em pequenos bandos na beira dos banhados ricos em vegetação. Pode locomover-se de várias maneiras. Geralmente nada entre os juncos, comendo os insetos que encontra. Mas é também capaz de caminhar sobre folhas flutuantes. Ao menor sinal de perigo, ele corre pela superfície da água até atingir velocidade suficiente para levantar voo. Seu voo é lento e ele nunca se afasta muito da água. Mas sua segurança está mesmo no mergulho. Ele desaparece rapidamente das vistas do inimigo, nadando vigorosamente com as asas. Sobe à superfície para respirar e torna a mergulhar, imediatamente.

Frango-d'Água Comum (Gallinula chloropus)Alimentação: vegetais, insetos, larvas, moluscos e peixes.

Reprodução: postura de 6 a 12 ovos com incubação durando em torno de 21 dias. Em fevereiro, o macho começa a construir grandes ninhos de raízes secas. Na primavera, a fêmea escolhe um deles e o território passa a ser guardado pelo macho. Depois de dois meses, os filhotes já são capazes de nadar e voar, e os pais dão início a uma nova ninhada. Em setembro, a família se desfaz.

Ameaças: poluição e destruição do habitat.

Presente em todo o Brasil e em quase todo o planeta, com exceção da Austrália e Nova Zelândia. No continente americano reproduz-se localmente desde o norte do Canadá até o norte do Chile e Argentina, e nas ilhas do Caribe. Os bandos que habitam as regiões mais frias do norte do continente americano migram para o sul durante o inverno daquela região. É comum em lagos com vegetação aquática e margens pantanosas. Normalmente é visto nadando próximo às margens, quando balança a cabeça para frente e para trás. Esconde-se na vegetação pantanosa, se assustado. Faz ninho aberto de taboas, à beira d'água. Seus ovos são esbranquiçados ou acinzentados, com pintas marrom-escuras. Conhecido também como jaçanã-galo (Nordeste), peituda (Rio de Janeiro) e galinha-d'água.

www.klimanaturali.org
www.megatimes.com.br