FLORESTA ESTADUAL - FORESTAS ESTADUAIS DO ESTADO DO AMAZONAS

Floresta Estadual de Maués  Florestas Estaduais do estado do Amazonas

Floresta Estadual de Maués 

Localização
Localiza-se no interflúvio Madeira-Tapajós e é limitada pelos rios Apocuitaua, Pacoval e Parauari.

Superfície
438.440 hectares

Bioma

Amazônia 100%
Floresta Ombrófila Densa 100%

Acesso

O acesso pode ser feito por via aérea ou fluvial no trecho Manaus-Maués. Daí até a unidade o trajeto é feito de barco ou voadeira pelos rios Parauari e Apocuitaua.

Floresta Estadual de Maués
palmeiras babaçu

Clima
O clima característico da região é do tipo AM da Amazônia e subtipo AN de transição, quente e úmido. As chuvas são abundantes e regulares, ocorrendo com maiores freqüências no período de janeiro a julho e menores de agosto a dezembro, o chamado verão.

guaraná

Flora

Grande parte da área é coberta por Floresta de Terra Firme, mas são também encontrados Igapós, Restingas e Campinas. Nestas, há "palhais" com predominância de palmeiras como o babaçu e o muru-muru. No alto Parauari, é bastante comum o afloramento de pedras. A área é rica especialmente em espécies madeireiras como o pau-rosa (Aniba roseodora), maçaranduba (Manilkara huberi), jatobá (Hymenaea courbaril), ipê roxo (Tabebuia impetiginosa), ipê amarelo (Tabeitua chysotricha), louro (Licaria brasiliensis), gamela (Ficus sp.), muirapiranga (Brosimum paraense) e muiracatiara (Astronium lecoientei). Abundância de cipós. Entre as espécies oleaginosas, as mais encontradas são a andiroba (Carapa guianensis) e copaíba (Copaifera sp.).

Fauna

Elevado número de espécies de peixes. O número de aves encontradas é altíssimo e, dentre os inúmeros grupos de primatas, pelo menos uma espécie é endêmica, o Mico mauesi (Sauim de Maués). A área é rica em tabuleiros de quelônios.
  • 15 comunidades essencialmente extrativistas habitam a área.
  • O principal produto é o guaraná (Paullinia cupana).
  • Culturas de subsistência, principalmente mandioca (Manihot esculenta).
  • A principal atividade econômica é a agricultura, com mais de 460 pontos de cultivo.
  • A criação de animais é a segunda atividade, sendo as aves e os suínos os mais encontrados.
  • A pesca é abundante, tendo sido mapeados mais de 100 pontos de pesca na área.
  • Os produtos extrativistas mais explorados são a madeira e os ovos de quelônios.
  • Extrai-se também óleo de andiroba e copaíba, os sipós titica e o ambé, entre outros.
  • Cultivo de pomares com espécies nativas, produção de mel e a extração de barro para o feitio de fornos a lenha.

Floresta Estadual de Sucunduri

Floresta Estadual de Sucunduri
Localização
Contíguo aos Parque Nacional do Juruena e Parque Nacional dos Campos Amazônicos, num corredor de mais de 9 milhões de hectares de áreas protegidas conhecido como Corredor Meridional de conservação da Amazônia. Região de forte pressão de desmatamento pela expansão da fronteira agrícola sobre a Amazônia brasileira.

Superfície
492.905 hectares

Bioma

Amazônia 100%
Floresta Ombrófila Aberta 27%
Floresta Ombrófila Densa 53%

Esta unidade integra o Mosaico do Sul do Estado do Amazonas, cuja caracterização é: Composto por 9 unidades, totalizando 2.467.243 ha.
  • Parque Estadual do Guariba e Parque Estadual do Sucunduri.
  • Reservas de Desenvolvimento Sustentável Bararati e Aripuanã.
  • Reserva Extrativista do Guariba.
  • Floresta Estadual do Apuí, Floresta Estadual do Aripuanã, Floresta Estadual de Manicoré e Floresta Estadual do Sucunduri.
  • A variedade de hábitats do mosaico, com florestas de terra-firme, florestas alagadas, campos rupestres, campinas e campinaranas, e a enorme beleza cênica proporcionada pelos saltos e corredeiras.
Floresta Estadual de Sucunduri Grande diversidade de espécies e paisagens.
As corredeiras de Monte Cristo e os saltos do Rio Sucunduri estão entre as paisagens mais conhecidas pelo encanto atrativo. Na porção oeste do mosaico há a formação geológica Domo do Sucunduri, um aglomerado de pequenas serras em disposição concêntrica, um afloramento rochoso do Paleozóico numa região submetida a um curioso clima de monções.

Floresta Estadual de Sucunduri Fauna

Com uma das maiores biodiversidades da Amazônia, a região ficou famosa pela alta diversidade de primatas na região da bacia do Aripuanã. São conhecidas mais de 13 espécies de primatas endêmicas da região. Outra particularidade é a presença de espécies do Cerrado, que ocorrem associadas às grandes manchas de campos e campinas, como as populações de cervo encontradas no Parque Estadual do Guariba. Inventários na porção oeste do mosaico revelaram a ocorrência de 850 espécies de árvores, 46 mamíferos, mais de 300 aves, 27 répteis, 30 anfíbios e aproximadamente 100 espécies de peixes.

Floresta Estadual do Rio Urubu

Rio Urubu
Floresta Estadual do Rio Urubu
Localização
Distante 84 km de Manaus, a Floresta Estadual do Rio Urubu se localiza no setor mais ameaçado do Distrito Agropecuário da Suframa, próxima à Área de Relevante Interesse Ecológico do Projeto Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais e conectada à Área de Proteção Ambiental de Presidente Figueiredo - Caverna do Maroaga. Faz parte do Corredor Ecológico Central da Amazônia, com sua cobertura vegetal de espécies predominantemente nativas.

Superfície
27.342 hectares

Bioma

Amazônia 100%
Floresta Ombrófila Densa 100%

Acesso
O acesso é por via terrestre, através da ZF-6, vicinal da BR-174, ou através da AM-010, até o município de Rio Preto da Eva. Deste para a UC, o acesso pode ser por via terrestre - menos usual, com poucas trilhas de acesso - ou fluvial através do Rio Urubu.

Apresenta uma série de atributos especiais como extensas áreas de buritizais nas planícies de alagação do rio Urubu, corredeiras e cachoeiras de grande beleza cênica. Sua vegetação é composta, em sua maior parte, por Floresta Primária intacta.

Floresta Estadual do Rio Urubu
Rio Urubu

Flora

A segunda maior diversidade de espécies florestais, em Florestas Tropicais do mundo, foi registrada nas proximidades desta Floresta Estadual. Aproximadamente metade da Floresta Estadual do Rio Urubu é composta por terrenos inclinados cortados por igarapés. Sua vegetação é formada por Floresta típica de Terra Firme, com árvores de até 37 m de altura.

Alta diversidade de espécies de árvores.
Dentre as espécies registradas, predominam a Castanha-de-macaco (Couropita guianensis), Angelim (Dinizia excelsa), Seringa (Hevea brasiliensis), Pau-rosa (Aniba roseodora), Louro (Licaria brasiliensis), Preciosa (Aniba canelilla) e Cumaru (Dipteryx odorata).

Guariba vermelho

Fauna

A fauna é rica, com presença de espécies raras tais como o gavião-real (Harpya harpyja), jacamim (Psophia crepitans) e primatas como o guariba (Alouatta maccunnelli) e o sagüi-de-mão-de-ouro (Saguinus midas).

Floresta Estadual do Aripuanã Floresta Estadual do Aripuanã

Floresta Estadual do Aripuanã
Localização
Contíguo aos Parque Nacional do Juruena e Parque Nacional dos Campos Amazônicos, num corredor de mais de 9 milhões de hectares de áreas protegidas conhecido como Corredor Meridional de conservação da Amazônia. Região de forte pressão de desmatamento pela expansão da fronteira agrícola sobre a Amazônia brasileira.

Superfície
336.040 hectares

Bioma

Amazônia 100%
Floresta Ombrófila Aberta 11%
Floresta Ombrófila Densa 89%

Esta unidade integra o Mosaico do Sul do Estado do Amazonas, cuja caracterização é: Composto por 9 unidades, totalizando 2.467.243 ha.

  • Parque Estadual do Guariba e Parque Estadual do Sucunduri.
  • Reservas de Desenvolvimento Sustentável Bararati e Aripuanã.
  • Reserva Extrativista do Guariba.
  • Floresta Estadual de Manicoré, Floresta Estadual do Apuí e Floresta Estadual do Sucunduri e Floresta Estadual do Aripuanã.
A variedade de hábitats do mosaico, com florestas de terra-firme, florestas alagadas, campos rupestres, campinas e campinaranas, e a enorme beleza cênica proporcionada pelos saltos e corredeiras.

Floresta Estadual do AripuanãGrande diversidade de espécies e paisagens.
As corredeiras de Monte Cristo e os saltos do Rio Sucunduri estão entre as paisagens mais conhecidas pelo encanto atrativo. Na porção oeste do mosaico há a formação geológica Domo do Sucunduri, um aglomerado de pequenas serras em disposição concêntrica, um afloramento rochoso do Paleozóico numa região submetida a um curioso clima de monções.

Floresta Estadual do AripuanãFauna

Com uma das maiores biodiversidades da Amazônia, a região ficou famosa pela alta diversidade de primatas na região da bacia do Aripuanã. São conhecidas mais de 13 espécies de primatas endêmicas da região. Outra particularidade é a presença de espécies do Cerrado, que ocorrem associadas às grandes manchas de campos e campinas, como as populações de cervo encontradas no Parque Estadual do Guariba. Inventários na porção oeste do mosaico revelaram a ocorrência de 850 espécies de árvores, 46 mamíferos, mais de 300 aves, 27 répteis, 30 anfíbios e aproximadamente 100 espécies de peixes.

Floresta Estadual do Apuí

Floresta Estadual do Apuí
Localização
Contíguo aos Parque Nacional do Juruena e Parque Nacional dos Campos Amazônicos, num corredor de mais de 9 milhões de hectares de áreas protegidas conhecido como Corredor Meridional de conservação da Amazônia. Região de forte pressão de desmatamento pela expansão da fronteira agrícola sobre a Amazônia brasileira.

Superfície
185.946 hectares

Bioma

Amazônia 100%
Unidade de uso sustentável.

Floresta Estadual do Apuí
Floresta Estadual do Apuí
Esta unidade integra o Mosaico do Sul do Estado do Amazonas, cuja caracterização é: Composto por 9 unidades, totalizando 2.467.243 ha.
  • Parque Estadual do Guariba e Parque Estadual do Sucunduri.
  • Reservas de Desenvolvimento Sustentável Bararati e Aripuanã.
  • Reserva Extrativista do Guariba.
  • Floresta Estadual do Sucunduri, Floresta Estadual do Aripuanã, Floresta Estadual de Manicoré e Floresta Estadual do Apuí.
A variedade de hábitats do mosaico, com florestas de terra-firme, florestas alagadas, campos rupestres, campinas e campinaranas, e a enorme beleza cênica proporcionada pelos saltos e corredeiras.

Grande diversidade de espécies e paisagens.
As corredeiras de Monte Cristo e os saltos do Rio Sucunduri estão entre as paisagens mais conhecidas pelo encanto atrativo. Na porção oeste do mosaico há a formação geológica Domo do Sucunduri, um aglomerado de pequenas serras em disposição concêntrica, um afloramento rochoso do Paleozóico numa região submetida a um curioso clima de monções.

Floresta Estadual do Apuí Fauna

Com uma das maiores biodiversidades da Amazônia, a região ficou famosa pela alta diversidade de primatas na região da bacia do Aripuanã. São conhecidas mais de 13 espécies de primatas endêmicas da região. Outra particularidade é a presença de espécies do Cerrado, que ocorrem associadas às grandes manchas de campos e campinas, como as populações de cervo encontradas no Parque Estadual do Guariba. Inventários na porção oeste do mosaico revelaram a ocorrência de 850 espécies de árvores, 46 mamíferos, mais de 300 aves, 27 répteis, 30 anfíbios e aproximadamente 100 espécies de peixes.

Floresta Estadual de Manicoré

Floresta Estadual de Manicoré
Localização
Contíguo aos Parque Nacional do Juruena e Parque Nacional dos Campos Amazônicos, num corredor de mais de 9 milhões de hectares de áreas protegidas conhecido como Corredor Meridional de conservação da Amazônia. Região de forte pressão de desmatamento pela expansão da fronteira agrícola sobre a Amazônia brasileira.

Superfície
83.381 hectares

Bioma

Amazônia 100%

Esta unidade integra o Mosaico do Sul do Estado do Amazonas, cuja caracterização é: Composto por 9 unidades, totalizando 2.467.243 ha.
  • Parque Estadual do Guariba e Parque Estadual do Sucunduri.
  • Reservas de Desenvolvimento Sustentável Bararati e Aripuanã.
  • Reserva Extrativista do Guariba.
  • Floresta Estadual do Aripuanã, Floresta Estadual do Apuí, Floresta Estadual do Sucunduri e Floresta Estadual do Manicoré.
A variedade de hábitats do mosaico, com florestas de terra-firme, florestas alagadas, campos rupestres, campinas e campinaranas, e a enorme beleza cênica proporcionada pelos saltos e corredeiras.

Grande diversidade de espécies e paisagens.
As corredeiras de Monte Cristo e os saltos do Rio Sucunduri estão entre as paisagens mais conhecidas pelo encanto atrativo. Na porção oeste do mosaico há a formação geológica Domo do Sucunduri, um aglomerado de pequenas serras em disposição concêntrica, um afloramento rochoso do Paleozóico numa região submetida a um curioso clima de monções.

Floresta Estadual de Manicoré Fauna

Com uma das maiores biodiversidades da Amazônia, a região ficou famosa pela alta diversidade de primatas na região da bacia do Aripuanã. São conhecidas mais de 13 espécies de primatas endêmicas da região. Outra particularidade é a presença de espécies do Cerrado, que ocorrem associadas às grandes manchas de campos e campinas, como as populações de cervo encontradas no Parque Estadual do Guariba. Inventários na porção oeste do mosaico revelaram a ocorrência de 850 espécies de árvores, 46 mamíferos, mais de 300 aves, 27 répteis, 30 anfíbios e aproximadamente 100 espécies de peixes.

Fonte: www.megatimes.com.br