TAMANDUÁ-BANDEIRA (Myrmecophaga tridactyla)

Características: é o maior representante das espécies de tamanduás. Chegando a medir 1,30m (fora a cauda) e pesar aproximadamente uns 25kg, precisa comer muitos milhares de insetos por dia para sustentar seu corpo. Com uma boca tão pequena, que mal chega a 2 cm de diâmetro, e totalmente desprovida de dentes, o tamanduá não pode comer muita coisa alem de insetos. Sua pelagem é grossa, dura e mais longa na cauda, cinza com uma diagonal preta bordejada de branco, estendendo-se até o peito, sobre os ombros em direção às costas. A enorme cauda é um tufo de pelos. Tem as patas providas de longas garras e sua língua mede de 30 a 40 cm, que serve para capturar seu alimento. Seu olfato, 40 vezes mais eficiente que o do homem, compensa sua visão deficiente.

Habitat: campos e florestas.

Ocorrência: América Central e América do Sul.

Hábitos: hábito solitário. Raramente é visto aos pares, exceto durante a mamentação ou o acasalamento. São animais não-territoriais mas costumam vagar por uma área de aproximadamente de 9.000ha. São ativos durante o dia e à noite, dependendo da temperatura do ambiente, das chuvas e da proximidade com núcleos urbanos. Nadam bem e apesar desta espécie de tamanduá não ser tipicamente escaladora de árvores, escalam muito bem quando em fuga ou em situações de perigo.Suas garras grandes e fortes servem para remover a dura terra dos cupinzeiros e rasgar troncos de árvores onde contenham formigueiros. Também servem para defesa, o tamanduá dá um abraço forte onde finca as unhas no agressor, daí a expressão abraço de tamanduá. Com sua língua comprida e pegajosa, ele captura centenas de formigas e cupins. Dorme enrolado, e é ativo de dia ou de noite. Em caso de enchente ele sabe nadar. Sua marcha é vagarosa, dificultada pelas garras que são voltadas para dentro, evitando o desgaste das unhas no contato com o solo. Um tamanduá-bandeira chega a devorar mais de 30.000 insetos por dia. Os cupins removem o subsolo e o utilizam para a contrução de sua casa. Durante este processo, nas paredes dos termiteiros são fixados nutrientes não encontrados na superfície; além disto, a atividade dos cupins no interior de seu ninho incorpora muita matéria orgânica. Quando o termiteiro é destruído pelo tamanduá, os nutrientes e matéria orgânica são espalhados pela superfícies e aproveitados por microorganismos e plantas, renovando a biomassa do Cerrado.

Alimentação: insetívoro. De vez em quando assalta algum ninho e quebra os ovos para lamber-lhes o conteúdo. Mas o alimento básico são mesmo cupins e formigas.

Reprodução: gestação de 190 dias, gerando 1 cria com cerca de 1,3kg. A mãe carrega seu filhote nas costas até um pouco depois do desmame (de 6 a 9 meses). Ela o acompanha até a próxima gestação, quando então o filhote passará a viver sozinho.

Predadores naturais: onça e suçuarana.

Ameaças: sua extinção deve-se à destruição de seu habitat, à caça e queimadas.

Fonte: Vivaterra