Gato Selvagem (Felis silvestris)

Tags

Gato Selvagem (Felis silvestris)

Gato Selvagem (Felis silvestris)
O gato-selvagem é um pequeno felino nativo da Europa e parte ocidental da Ásia e África. É um caçador de pequenos mamíferos, pássaros e outros pequenos animais. Existem várias subespécies distribuídas em diferentes regiões do mundo. Às vezes está incluído o gato-doméstico (F. s. catus), que foi introduzido em todos os continentes habitáveis e na maioria das maiores ilhas do mundo, e tornou-se selvagem em muitos desses ambientes.

Um estudo sugere que todos os gatos-domésticos atuais no mundo são descendentes de um grupo de gatos-selvagens auto-domesticáveis há 10.000 anos atrás, em algum lugar próximo do Oriente. Acredita-se que essa domesticação ocorreu quando a Revolução Agrícola produzia grãos, que eram armazenados em celeiros, o que acabava atraindo roedores, que por sua vez atraia gatos. O parente mais próximo do gato-selvagem é o gato-da-areia (Felis margarita).

O gato-selvagem se parece fisicamente com um gato-doméstico em muitos aspectos. Embora as raças domesticadas mostrem uma grande variedade de formas e cores, as espécies selvagens são do amarelo claro a marrom com listras pretas ou manchas. Indivíduos melanísticos (preto) foram relatados, mas provavelmente são resultado de hibridação com gatos-domésticos.

Os gatos-selvagens medem de 45-80 cm de comprimento, e pesam entre 3-6 kg e têm uma cauda de cerca de 30 cm. As subespécies Asiáticas e Africanas tendem a ser menores do que o gato-selvagem da Europa.

Comportamento
O gato-selvagem é extremamente cauteloso com os seres humanos, e evita se aproximar de vilarejos. É um animal solitário e defende seu território de 1,5-12 km2 de qualquer coisa. Os machos tendem a manter territórios maiores que as fêmeas. Gatos-selvagens de ambos os sexos marcam seus territórios depositando as fezes em locais proeminentes e deixando marcas de cheiro através da urina, esfregando a bochecha e arranhando o chão.

Dieta
O gato-selvagem é carnívoro, mas eventualmente insetos e plantas fazem parte de sua dieta. Independentemente de subespécies, a maioria de suas presas consiste de pequenos mamíferos, principalmente roedores e coelhos. Gatos-selvagens são predadores oportunistas, e também já foram observados comendo anfíbios, peixes, doninhas, escorpiões e até mesmo jovens veados ou antílopes.

Reprodução e ciclo de vida
Os gatos-selvagens geralmente se reproduzem apenas uma vez por ano. O gato-selvagem da Europa se reproduz entre fevereiro e março, e os gatos-selvagens do sul da África mostram uma preferência para a reprodução durante a estação chuvosa quando as presas são mais abundantes. O gato-selvagem do norte da África, no entanto, se reproduz durante todo o ano, sem preferência por uma determinada época. A gestação dura 56-69 dias, tendendo a ser ligeiramente mais curta nas subespécies africanas do que no gato-selvagem da Europa.

Na natureza, as ninhadas variam de um a cinco filhotes. Os filhotes pesam entre 75-150 g quando nascem, e são cegos e indefesos. Abrem os olhos depois de 7-12 dias, e eles começam a caçar presas vivas em 10-12 semanas de idade. Eles estão totalmente desmamados aos dois meses, e começam a viver de forma independente após cerca de três meses. Começam estabelecer seus próprios territórios dentro de um ano, época em que eles estão sexualmente maduros.

Os gatos-selvagens podem viver até 16 anos em cativeiro.

Distribuição
As populações de gatos-selvagens sobrevivem em locais espalhados por toda a Europa, de Portugal e norte da Escócia até a Turquia e as Montanhas Cárpatos. Populações também sobrevivem na Sicília e Sardenha. As subespécies Africanas são encontrados em todo o continente, evitando apenas os desertos e densas florestas tropicais, e também no Oriente Médio, até o Irã. O gato-selvagem da Ásia vive mais a leste, a partir do Paquistão e noroeste da Índia, em uma faixa através da Ásia Central, que vai até a Mongólia.

Dada a sua ampla distribuição, os gatos-selvagens são capazes de se adaptar a vários tipos de habitats. Eles são comumente encontrados em floresta tropical ou decídua, mas também habitam matagais, savanas e pântanos.

Gato Selvagem (Felis silvestris)

Ameaças
As principais ameaças à sobrevivência desta espécie são a hibridação com gatos-domésticos, a transmissão de doenças, e a competição com gatos domésticos. Outras ameaças significativas são a perda de habitat, fragmentação e degradação de algumas áreas onde ele vive.

Subespécies
De acordo com um estudo genético de 2007, existem 5 subespécies:

    Felis silvestris silvestris - Europa e Turquia
    Felis silvestris lybica - Norte da África, Oriente Médio e Ásia Central
    Felis silvestris cafra - Sul da África
    Felis silvestris ornata - Paquistão, noroeste da Índia, Mongólia e norte da China
    Felis silvestris bieti - China

www.klimanaturali.org