Onça Pintada (Panthera onca)

Tags

Onça Pintada (Panthera onca)

Onça Pintada (Panthera onca)

A onça-pintada, também conhecida como jaguar é um grande felino, do gênero Panthera, e é a única espécie Panthera encontrada nas Américas. É o terceiro maior felino do mundo depois do tigre e do leão, e o maior felino das Américas.

É encontrada nas regiões quentes e temperadas do continente americano, desde o sul dos Estados Unidos até o norte da Argentina. É um símbolo da fauna brasileira. Os vocábulos "jaguar" e "jaguaretê" têm origem no termo da língua guarani jaguarete.

Este felino pintado, fisicamente, mais se assemelha ao leopardo, embora geralmente seja maior e mais resistente. As características do seu comportamento e habitat são mais próximas às do tigre. Embora seu habitat preferido seja a densa floresta tropical, é encontrado também em uma variedade de terrenos abertos.

A onça-pintada está fortemente associada com a presença de água e é notável, juntamente com o tigre, como um felino que gosta de nadar. É um animal de hábito solitário e um importante predador, desempenhando um papel na estabilização dos ecossistemas e na regulação das populações de espécies de animais que caça. Tem uma mordida excepcionalmente poderosa, mesmo em relação a outros grandes felinos.

A população das onças-pintadas está em declínio. As ameaças incluem a perda e fragmentação do seu habitat. Embora o comércio internacional de onças e de suas partes esteja proibido, o felino ainda é frequentemente morto por seres humanos, particularmente em conflito com fazendeiros e agricultores na América do Sul.

Distribuição geográfica
A onça-pintada era encontrada inicialmente, desde o sul dos Estados Unidos até o norte da Argentina. Porém, seu território de ocupação diminuiu sensivelmente. Costuma ser encontrada em reservas florestais e matas cerradas do Brasil.

Seu habitat preferencial são zonas florestais, mas a espécie também vive em planícies pantanosas, savanas e até desertos, sendo fortemente influenciada por regiões com cursos de água frequentados por suas presas preferidas. Já foram encontradas em regiões acima de 3.800 m de altitude, mas geralmente evitam regiões montanhosas.

A onça-pintada é encontrada em praticamente todos os países da América continental: Argentina, Belize, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica (particularmente na Península de Osa), Equador, Estados Unidos, Guatemala, Guiana, Guiana Francesa, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Suriname e Venezuela. Está extinta em El Salvador e no Uruguai.

A inclusão dos Estados Unidos na lista é basicamente devido a avistamentos no sudoeste, principalmente no Arizona, Novo México e Texas.

Características físicas
A cabeça da onça-pintada é proporcionalmente maior em relação ao corpo. Um exemplar adulto alcança até 2,60 m de comprimento, chegando a pesar em torno de 115 kg, embora, em média, os machos pesam 90 kg e as fêmeas 75 kg.

A onça-pintada é o maior mamífero carnívoro do Brasil, e necessita de pelo menos 2 kg de alimento por dia, o que determina a ocupação de um território de 25 a 80 km² por indivíduo a fim de possibilitar capturar uma grande variedade de presas.

Apesar de ser tão temida, foge da presença humana e mesmo nas histórias mais antigas, são raros os casos de ataque ao ser humano. Como necessita de um amplo território para sobreviver, pode "invadir" fazendas em busca de animais domésticos, despertando, assim, a ira dos fazendeiros que a matam sem piedade. Por esse motivo, e sobretudo pela rápida redução de seu habitat, esse felino, naturalmente raro, ainda encontra-se a beira da extinção no Brasil.

Existem também alguns indivíduos melânicos, as chamadas onças-pretas (pantera-negra). Elas não pertencem a uma outra espécie, e suas manchas ainda são facilmente reconhecíveis na pelagem escura. Trata-se apenas de uma mutação genética na qual os indivíduos produzem mais melanina do que o normal, o que provoca um maior escurecimento da pelagem desses animais.

Dieta
A onça-pintada é uma excelente caçadora. As patas curtas não lhe permitem longas corridas, porém lhe proporcionam grande força, fundamental para dominar animais possantes como antas, capivaras, queixadas, tamanduás, jacarés etc. Ocasionalmente esses felinos atacam e devoram grandes serpentes (jibóias e sucuris). Enquanto os outros grandes felinos matam suas vítimas, mordendo-as no pescoço, a onça-pintada o faz atacando-as diretamente na cervical, graças a suas mandíbulas poderosas, as mais fortes de todos os felinos e a segunda mais forte entre os carnívoros terrestres. Esses felinos frequentemente matam animais como a capivara e pequenos macacos mordendo-lhes o crânio, sendo o único felino a fazer isto. A mordida de uma onça-pintada pode facilmente atravessar o casco de uma tartaruga.

Reprodução
As onças-pintadas são solitárias e só buscam a companhia da fêmea durante a época de acasalamento. A gestação dura em média 100 dias e até 4 filhotes podem ser gerados. Os machos atingem a maturidade sexual em torno dos 3 anos, e as fêmeas, com 2 anos. Em cativeiro, as onças-pintadas vivem até 20 anos; já a expectativa de vida para as onças selvagens cai pela metade.

Na época reprodutiva, as onças-pintadas perdem um pouco os seus hábitos individualistas e o casal demonstra certo apego, chegando inclusive a haver cooperação na caça. Normalmente, o macho separa-se da fêmea antes dos filhotes nascerem. Em geral nascem 2 filhotes. Quando atingem de 1,5-2 anos, separam-se da mãe, tornando-se sexualmente maduros e podendo assim se reproduzirem.

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org