Bambu (Bambusa vulgari)

Bambu (Bambusa vulgari)

Bambu (Bambusa vulgari)

Bambu (Bambusa vulgari) é designação genérica para um vasto grupo de plantas da família das gramíneas, no qual já foram descritas mais de 600 espécies, a maioria procedente da Ásia. Entre os bambus encontram-se as plantas de mais rápido crescimento conhecido: alguns chegam a quarenta metros em menos de dois anos. Certas espécies podem atingir até trinta centímetros de diâmetro, mas nem todas são gigantescas: há espécies ornamentais cuja altura, no estágio máximo de desenvolvimento, não ultrapassa 15cm.

Dos brotos comestíveis, comuns na culinária do Oriente, à matéria-prima que fornece para construções rústicas e uma diversificada produção de objetos de adorno ou com fins utilitários, como cestos, móveis, cortinas ou caniços de pesca, o bambu tornou-se de uso consagrado pelo homem nas regiões tropicais.

A partir de um sistema cerrado e não muito profundo de raízes, o bambu emite vários colmos -- caules lisos e ocos, com fortes nós nas articulações -- que se agregam em touceiras densas e originam comunidades homogêneas, os bambuzais, onde a sombra que produzem e a lenta decomposição das folhas caídas impedem o crescimento de outras plantas.

Bambu

Divergindo da maioria das gramíneas, os bambus têm flores com seis estames. Muitas espécies florescem anualmente; outras, a intervalos de vários anos. Os frutos, em algumas, assemelham-se ao arroz e podem ser preparados e comidos como este. O gênero Melocanna, da Ásia, produz frutos comestíveis grandes, do tamanho e aparência de maçãs.

Bambu (Bambusa vulgari)

A grande maioria das espécies não depende, para reproduzir-se, da via sexuada que a floração propicia. Sua multiplicação vegetativa perfaz-se em geral com intensidade através do sistema radicular, que lança em vários sentidos os mergulhões dos quais brotam colmos novos. Devido à malha de raízes criada na evolução desse processo, o plantio de pequenas variedades de bambu tornou-se aconselhável na contenção de encostas.

Bambu (Bambusa vulgari)

No Brasil, são de ocorrência muito comum espécies como Bambusa vulgaris, cujos brotos são considerados estomáquicos, depurativos e antidisentéricos, e B. arundinacea, de valor medicinal no combate a erupções da pele. Em regiões montanhosas da China, os extensos bambuzais servem de habitat a animais autóctones, como o urso-panda, para o qual os brotos tenros de bambu são a única fonte alimentar.

www.klimanaturali.org
www.megatimes.com.br