Gerenuk ou Gazela Girafa (Litocranius walleri)

Gerenuk ou Gazela Girafa (Litocranius walleri)

O Gerenuk ou gazela-girafa (Litocranius walleri) é um antílope encontrado em regiões áridas da África. Tal espécie possui pescoço muito longo e fino, que lembra o das girafas.

Gerenuk ou Gazela Girafa (Litocranius walleri)
Gerenuk ou gazela-girafa (Litocranius walleri)
Gerenuks tem uma cabeça relativamente pequena para o seu corpo , mas os seus olhos e orelhas são proporcionalmente grandes. Apenas os machos têm chifres e eles também têm um pescoço mais musculoso do que as fêmeas . Ambos os sexos têm pelagem marrom avermelhadas com um baixo-ventre mais pálido . Eles têm , caudas pontas pretas curtas. O gerenuk é facilmente reconhecível a partir do seu pescoço longo e magro distintivo que pode ser alongada ainda mais se for necessário para atividades como alimentação fora os arbustos mais altos e vegetação rasteira do deserto. Ele também tem pernas finas extremamente longos que são outra grande vantagem que eles podem galopar na distância a velocidades muito altas a partir de qualquer tipo de predador tentar atacar . No entanto, devido ao comprimento das suas pernas extremo , elas podem ser mais susceptíveis a fractura do osso da perna. Houve muitas ocasiões em que gerenuks realmente bati as pernas longas , devido ao tropeçar e tropeçando no chão. Da cabeça à cauda , o gerenuk é cerca de 150 centímetros ( 59 in) de comprimento. Os machos são um pouco mais alto do que as fêmeas , em 89-105 cm (35-41 in) de altura, com as fêmeas normalmente 80-100 cm ( 31-39 in) de altura. O macho também é mais pesado do que a fêmea , pesando 45 kg (99 lb), enquanto as fêmeas pesam cerca de 30 kg (66 lb) . Muitos criadores de gerenuks e zoólogos têm descrito gerenuks como sendo animais extremamente humilde , sempre ajudando colegas gerenuks . Em antigos contos tribais africanos , o gerenuk tem sido muitas vezes coroada "Rainha de humildade . "

Reserva Biológica do Abufari | Amazonas

Reserva Biológica do Abufari | Amazonas

Reserva Biológica do Abufari | Amazonas
Reserva Biológica do Abufari | Amazonas
Um dos principais e mais importantes fatores que levaram o antigo IBDF a decretar Abufari como Unidade de Conservação, na categoria de REBIO, foi a abundância de quelônios, considerado por muitos especialistas como o tabuleiro mais significativo no estado do Amazonas.
Aspectos Culturais e Históricos: Estudos efetuados para a criação da Reserva foram feitos em 1980, quando constatou-se a existência de uma região quase inalterada, apresentando vários tabuleiros de desova de tartaruga, iaçá e tracajá, constituindo-se uma das regiões mais importantes para a conservação destes indivíduos.

Área, Localização e Acessos: Possui área de aproximadamente 288.000 ha, cerca de 0,19% da superfície do estado e um perímetro de 325 Km. Está localizada no estado do Amazônas, a 450 Km de distância de Manaus, em linha reta, e por volta de 800 Km por via fluvial. O acesso pode ser feito através de barco regional pelo rio Purús, linha Manaus, com duração de 3 a 4 dias de viagem ou de avião, levando uma hora e meia até a cidade de Tapauá, e de lá de voadeira por mais uma hora. A cidade mais próxima à unidade é Tapauá que fica a 600 Km da capital.

Superfície
288.000 hectares.

Reserva Biológica do Abufari | Amazonas
Reserva Biológica do Abufari | Amazonas

Decreto e Data de Criação: Foi criada pelo Decreto n° 87.585 de 20.09.1982

Bioma
Amazônia 100%
Floresta Ombrófila Densa 100%

Relevo: A maior parte da Reserva está dominada pela planície fluvial, ou seja, área aplainada resultante de acumulação fluvial, periódica ou permanentemente alagada, geralmente comportando diques marginais ou processos de colmatagem.

Vegetação: As formações vegetais que dominam são: Floresta Tropical Densa Aluvial de Terraços, Floresta Tropical Aberta das áreas das depressões nos interflúvios tabulares e vegetação de áreas de tensão ecológica contato formações edáficas. A Floresta Tropical Densa ocorre nas partes mais altas, enquanto as demais ocorrem nas partes mais baixas.

Fauna: A grande diversidade de espécies animais que geralmente é encontrada em toda região Amazônica, também está bem representada na Reserva do Abufari. Muitas delas, como por exemplo, o peixe-boi (Trichechus imunguis), tartarugas e botos utilizam a várzea onde encontram alimento e proteção no período das cheias, voltando para o leito do rio no período seco.

Usos Conflitantes que Afetam a Unidade e Seu Entorno: A reserva não apresenta demarcação em forma de marcos de referência, o sistema de sinalização está muito deficiente. Existe impacto causado pelo intenso tráfego das embarcações no interior da Reserva. Além disso ocorrem na área: pesca, retirada de madeira e caça.

Benefícios Indiretos e Diretos da Unidade para o Entorno : O principal benefício da unidade é sem dúvida alguma a preservação dos quelônios do local.

Planejamento: Plano de Ação Emergencial elaborado em setembro de 1995. Existe projeto com quelônios que vem sendo desenvolvido pelo Centro Nacional de Quelônios da Amazônia (CENAQUA).

Objetivos
Promover estudos e pesquisas sobre os quelônios, ictiofauna, e sobre a castanha do Brasil. Além de estudar a dinâmica de populações de bagres, predadores dos filhotes de quelônios e quantificar a densidade de peixes comerciais (inclusive ornamentais).

Clima
Apresenta clima do tipo equatorial quente, com a temperatura média acima de 20 °C e constantemente úmido. Tanto a temperatura como as chuvas sofrem um mínimo de variação anual e mantêm-se em um nível relativamente elevado.

Relevo
A maior parte da Reserva está dominada pela planície fluvial, ou seja, área aplainada resultante de acumulação fluvial, periódica ou permanentemente alagada, geralmente comportando diques marginais ou processos de colmatagem.

Flora
As formações vegetais que dominam são: Floresta Tropical Densa Aluvial de Terraços, Floresta Tropical Aberta das áreas das depressões nos interflúvios tabulares e vegetação de áreas de tensão ecológica com formações edáficas. A Floresta Tropical Densa ocorre nas partes mais altas, enquanto as demais ocorrem nas partes mais baixas.

Fauna
A grande diversidade de espécies animais que geralmente é encontrada em toda região Amazônica, também está bem representada na Reserva do Abufari. Muitas delas, como por exemplo, o peixe-boi (Trichechus imunguis), tartarugas e botos utilizam a várzea onde encontram alimento e proteção no período das cheias, voltando para o leito do rio no período seco.

Peixe BoiPeixe Boi

www.megatimes.com.br
www.geografiatotal.com.br 

Reserva Biológica Estadual do Traçadal | Rondônia

Reserva Biológica Estadual do Traçadal | Rondônia

Localização
A Reserva Biológica Estadual do Traçadal se insere na parte oeste do estado de Rondônia, sendo drenada por tributários do Rio Pacaás Novos. A reserva situa-se em área de uso especial do exército, e é administrada pela Sedam, mas por estar localizada em área remota, nenhuma medida de conservação in situ foi de fato tomada, além da demarcação e do início do processo de regularização fundiária.

Superfície
22.540 hectares.

Reserva Biológica Estadual do Traçadal | Rondônia
Reserva Biológica Estadual do Traçadal | Rondônia
Bioma
Amazônia 100%
Floresta Ombrófila Aberta 100%

A unidade de relevo que caracteriza a UC é o pediplano centro-ocidental brasileiro, com altitudes sempre próximas a 100 metros. Os solos predominantes, em ordem de ocorrência, são os latossolos amarelos, os podzóis hidromórficos e o glei pouco húmico.

www.megatimes.com.br
www.geografiatotal.com.br

Reserva Biológica do Guaporé | Rondônia

Reserva Biológica do Guaporé | Rondônia

Reserva Biológica do Guaporé | RondôniaAfluente do Rio Madeira, o Rio Guaporé, cuja extensão é enorme também, faz a divisa natural do Brasil com a Bolívia.

Localização
Localizada no sudoeste do estado, lna bacia do Guaporé, onde se destacam os rios Guaporé, Branco e São Miguel. A cidade mais próxima à unidade é Costa Marques que fica a uma distância de 830 Km da capital.

Superfície
600.000 hectares.

Bioma
Amazônia 100%

Formações Pioneiras 43%
Floresta Ombrófila Aberta 38%
Floresta Ombrófila Densa 3%
Savana 16%

As unidades de relevo são o pediplano centro-ocidental brasileiro, as planícies e pantanais do médio e alto Guaporé, e o planalto sedimentar dos Parecis, com altitudes predominantemente baixas, que chegam no máximo a 200 m. Com relação aos solos, destacam-se por ordem de ocorrência o latossolo amarelo, o cambissolo, a laterita hidromórfica, o latossolo vermelho-amarelo e o podzólico vermelho-amarelo.

Rio GuaporéRio Guaporé
Flora
Sua cobertura vegetal tem a predominância da Florestal Densa, com exceção da Chapada dos Parecis e certos trechos da Serra dos Pacáas Novos, onde aparecem grandes extensões de Campos Cerrados e Cerradões.

Colhereiro - Reserva Biológica do GuaporéColhereiro - Reserva Biológica do Guaporé
Fauna
Não há levantamentos detalhados sobre a fauna local, mas se registra a presença de áreas de nidificação de aves aquáticas (trinta-réis, taiamãs, cabeças-secas e tabuiaiás), e ainda búfalos ferais introduzidos pela Fazenda Pau d'Óleo.

Man-gua-rí - Reserva Biológica do GuaporéMan-gua-rí - Reserva Biológica do GuaporéMan-gua-rí - Reserva Biológica do Guaporé

www.megatimes.com.br
www.geografiatotal.com.br