PARNA DO PAU-BRASIL NO ESTADO DA BAHIA

Parque Nacional do Pau-Brasil no Estado da Bahia

Objetivos Específicos da Unidade
Proteger e preservar amostras dos ecossistemas ali existentes e possibilitar o desenvolvimento de pesquisa científica e programas de educação ambiental.

Área do Parque Nacional do Pau-Brasil

11.590,00 (Hectares)

Aspectos Culturais e Históricos

A Região é extremamente bela, está na costa do descobrimento do Brasil.

Aspectos Físicos e Biológicos do Parque Nacional do Pau-Brasil

Clima
O clima da unidade é úmido tropical, clima de floresta quente e úmida, sem caracterizar uma situação de seca.

Relevo
O relevo é predominantemente plano, recortado por boqueirões de média profundidade.

Vegetação
Mata atlântica.

Fauna do Parque Nacional do Pau-Brasil

O Parque Nacional do Pau-Brasil foi criado com intuito de preservar este que foi o primeiro pedaço de terra avistado pelos portugueses. Logo após a descoberta destas terras distantes, os portugueses perderam o interesse pelo lugar por não encontrarem na região metais preciosos ou especiarias que pudessem trazer riquezas para o reino.

Foram registrados na região muitas espécies inclusas na lista oficial das ameaçadas de extinção, das quais se destacam: a Onça-Pintada (Panthera onça) e a Harpia (Harpia harpija). Também foram registrados a presença do macaco-prego, cotia, paca, tatus, diferentes espécies de pássaros e diversos insetos.

A maior riqueza encontrada por estas bandas foi a quantidade de uma árvore com tronco vermelho, com altura de até 30 metros, muito dura e resistente, chamada Pau-Brasil. Por cerca de 100 anos, a exploração foi muito intensa e predatória em toda a costa, fazendo com que o Pau-Brasil se tornasse escasso e raro em nosso litoral. Todo o Pau-Brasil retirado era levado à Europa e dele era retirada uma substância conhecida como “brasileína”, utilizada como corante para tingimento de tecidos.

Muitas árvores imponentes como jequitibás, parajus, aroeiras, pequis e muitas outras podem ser avistadas em seu interior. A mata densa torna o acesso complicado para alguns locais. É muito comum, pela ocorrência de ventos fortes, encontrar troncos e árvores caídas fechando a passagem das estradas, sendo necessários equipamentos específicos para liberar o caminho.

Nas margens dos rios pude notar pegadas de anta, catitu, cutia, pacas e até onça. Ver algum deles é uma tarefa quase impossível, pois os caçadores fizeram com que os bichos sumissem de locais de fácil acesso ao homem e se embrenhassem mata adentro. O parque não está aberto à visitação, somente a pesquisas científicas com autorização prévia mas, segundo Ivone, diretora da unidade, o parque vem se estruturando para que possa, nos próximos anos, ser aberto ao público. Uma bela sede acaba de ser construída, um projeto arquitetônico de muito bom gosto e, em breve, o escritório administrativo, que atualmente funciona em Eunápolis, distante 46 km, estará funcionado dentro do parque.

A área da unidade é relativamente pequena, 11.538 ha, algumas estradas abertas por antigos fazendeiros são o único meio de conhecer seus atrativos, mas só carros tracionados circulam por elas. Caminhando por dentro da mata, encontra-se amostras de Pau-Brasil, orquídeas que ornamentam os caminhos com a trilha sonora de aves como as arapongas, macucos e beija-flores. Uma pequena queda d’água formada pelo Rio Jacuba, formou o Salto do Macuco, coisa rara neste tipo de topografia, onde o solo é formado por areia e não há rochas. Nas andanças pelo interior da mata o observador tem a oportunidade de observar um dos ovos mais bonitos da natureza, o ovo do macuco, em tom azul turquesa, parece uma pintura, a natureza sempre surpreende.

www.megatimes.com.br