ARARA VERMELHA GRANDE (Ara chloropterus)

Arara Vermelha Grande (Ara chloropterus)

Arara Vermelha Grande (Ara chloropterus)

Família: Psittacidae
Espécie: Ara chloroptera
Comprimento: 90 cm
Peso: 1,5 kg.

Presente na Amazônia brasileira e em rios costeiros margeados por florestas no leste do País, chegando originalmente até o Espírito Santo, Rio de Janeiro e interior do Paraná. Encontrada também do Panamá ao Paraguai e Argentina. Espécie parecida com a anterior, diferindo nas penas verdes sobre as asas, em substituição às amarelas da arara-canga. Habita a copa de florestas altas, florestas de galeria e campos com árvores isoladas. Seu comportamento é semelhante ao de outras espécies de araras. Conhecida também como arara-verde e arara-vermelha.

Arara Vermelha Grande (Ara chloropterus)
A arara-vermelha, conhecida também como arara-vermelha-grande e arara-vermelha-e-verde, é a maior arara do gênero Ara. Ocorre no Panamá, Colômbia, Venezuela, Guianas, Equador, Peru, Bolívia, Paraguai. No Brasil ocorre desde a Amazônia até oeste do Piauí, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo. Habita matas de beira de rios em florestas tropicais, cordilheiras e capões no Pantanal.

A arara-vermelha pode ser facilmente diferenciada da arara-piranga (Ara macao). Enquanto o peito das duas espécies é vermelho brilhante, as penas da parte superior das asas da arara-vermelha são mais verdes e na arara-piranga são mais amarelas. Além disso, a arara-vermelha tem linhas vermelhas características ao redor dos olhos, formados por fileiras de pequenas penas, esta é uma das maiores diferenças entre uma arara-vermelha e uma arara-piranga. A arara-vermelha também é maior que a arara-piranga.

Arara Vermelha Grande (Ara chloropterus)As araras são os maiores representantes da família dos psitacídeos. A arara-vermelha é a segunda maior arara, só perde em tamanho para a arara-azul (Anodorhynchus hyacinthinus), a maior ave da família das araras. A envergadura da arara-vermelha pode chegar a 125 cm, com um comprimento total do corpo de 90-95 cm. Um adulto saudável pode pesar entre 1.250 e 1.700 g. Tem um bico muito poderoso que pode gerar uma pressão de 2.000 psi e pode quebrar um cabo de vassoura ao meio. Este bico poderoso é adaptado para quebrar ou abrir até mesmo as mais duras nozes e sementes.

Quando chega a época reprodutiva formam casais que permanecem fiéis por toda vida. A fêmea geralmente põe dois ou três ovos em um ninho feito em um buraco de uma árvore, mas ela também se aproveita de buracos em paredes rochosas para colocar os ovos. O período de incubação é de cerca de 28 dias e o macho é responsável pela alimentação da fêmea e dos filhotes.

Os psitacídeos são um dos grupos que mais sofrem com o tráfico de fauna silvestre, pois sua grande diversidade de cores e capacidade de imitar a voz humana desperta o interesse de pessoas no mundo todo, movimentando milhões de dólares por ano. Quando esses animais são caçados para a venda, as árvores que possuem ninhos costumam ser derrubadas. Isso prejudica a reprodução de diversas espécies de aves que utilizam o mesmo ninho em épocas reprodutivas diferentes. Além da caça para a comercialização, sofrem com a contínua destruição do habitat.
Arara Vermelha Grande (Ara chloropterus)Características: mede aproximadamente 90 cm de comprimento e pesa cerca de 1,5kg. Possui plumagem predominantemente vermelha, com as penas das asas em azul (coberteiras maiores e primárias), e verde (coberteiras menores, secundárias e terciárias), face branca com fileiras de penas vermelhas.

Habitat: matas e áreas de capões florestais, podendo, eventualmente, ser avistada em áreas mais abertas (tipo savanas).

Ocorrência: desde o sul do Panamá, passando pela Bolívia, Colômbia, Peru, Paraguai indo até a Mata Atlântica no Espírito Santo e Rio de Janeiro. Atualmente, é muito rara nas florestas costeiras, sendo mais comumente encontrada nos estados de Mato Grosso, Goiás e região amazônica.

Hábitos: vivem agrupadas em casais ou em pequenos grupos de até 12 indivíduos.

Alimentação: frutos e sementes procurados nas copas de árvores. Podem eventualmente ingerir barro para minimizar o efeito tóxico de algumas plantas e complementar a dieta com sais minerais.

Reprodução: pode construir o ninho em ocos de grandes árvores ou paredões de pedra. A reprodução ocorre na estação chuvosa, podendo a fêmea coloca geralmente 2 ovos e o período de incubação é de 30 dias.

Ameaças: a destruição do ambiente é provavelmente a maior ameaça para a espécie, visto que precisa de grandes áreas de mata ou capões para viver. O desaparecimento desta arara das florestas próximas ao litoral brasileiro deve estar relacionado ao desmatamento acentuado da vegetação original, resultando em fragmentos de mata incapazes de sustentar uma população. A espécie também está sujeita à perseguição para fomentar o comércio ilegal de aves.
www.megatimes.com.br